Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da neurodegeneração promovida pela infusão crônica do peptídeo ²Beta amiloide 1-40 humano, em camundongos com deleção dos receptores B1 ou B2 para bradicinina

Processo: 09/08049-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2009
Vigência (Término): 31 de março de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Hudson de Sousa Buck
Beneficiário:Fábio Agostini Do Amaral
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP). Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Doenças neurodegenerativas   Doença de Alzheimer   Peptídeos beta-amiloides   Receptor B1 da bradicinina   Receptor B2 da bradicinina

Resumo

A atuação das cininas no organismo está relacionada à ativação dos receptores B1 e B2 para Bradicinina, ambos acoplados à proteína G. O receptor B2 está presente constitutivamente na maioria dos tecidos, já o receptor B1, na maior parte das vezes, não é expresso em tecidos normais, tendo sua indução e aumento na expressão principalmente em tecidos lesionados, no tratamento com endotoxinas bacterianas, algumas citocinas, fatores de crescimento e em doenças neurológicas crônicas como a Doença de Alzheimer. Recentemente demonstramos neurodegeneração nas áreas corticais e hipocampais e formação de placas amiloides após a infusão crônica do peptídeo ß-amiloide no ventrículo lateral de ratos Wistar. Essas alterações estavam associadas ao aumento da concentração de Bk no fluído cérebro-espinhal e da densidade de receptores B1 e B2 em áreas relacionadas aos processos cognitivos. Os receptores de Bk também podem modular o processo proteolítico da proteína precursora amiloide. Essas informações sugerem que a ativação dos receptores cininérgicos poderia influenciar a formação de placas amiloides e a neurodegeneração. O receptor B1 é considerado um dos fatores contribuintes para a gênese de doenças neurodegenerativas podendo exercer influência regulatória sobre doenças neurológicas crônicas, particularmente em doenças associadas a altos níveis de citocinas, que são capazes de regular a expressão de receptores B1. Resultados iniciais desse estudo, em camundongos com deleção genética do receptor B1 (koB1) ou B2 (koB2), sugerem que a ausência dos receptores B2 acelerou o déficit cognitivo causado pela infusão crônica do peptídeo bA humano enquanto que a ausência dos receptores B1 aparentemente impediu o déficit cognitivo, em comparação com os controles genéticos (C57Bl/6J). Também observamos que em camundongos koB1 de 12 meses a memória de longa duração estava melhor preservada que em animais C57Bl/6J, enquanto que em animais koB2 de mesma idade não houve a formação de memória. Esses dados reforçam a participação do receptor B1 em processos neurodegenerativos e sugerem a possível atuação do receptor B2 como neuroprotetor. Esses resultados dão suporte para a realização de estudos imunohistoquímicos visando avaliar alterações no número de corpos celulares e de sinapses das linhagens de camundongos C57Bl/6J, koB1 e koB2 infundidos com bA. Esses dados poderão esclarecer ainda mais a participação dos receptores B1 e B2 nos processos degenerativos do sistema nervoso central. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CAETANO, A. L.; DONG-CRESTE, K. E.; AMARAL, F. A.; MONTEIRO-SILVA, K. C.; PESQUERO, J. B.; ARAUJO, M. S.; MONTOR, W. R.; VIE, T. A.; BUCK, H. S. Kinin B2 receptor can play a neuroprotective role in Alzheimer's disease. Neuropeptides, v. 53, p. 51-62, OCT 2015. Citações Web of Science: 7.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.