Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise de proteínas e peptídeos em carcinoma oral de células escamosas utilizando modelo experimental para o desenvolvimento de tumores em animais

Processo: 10/09642-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2010
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Adriana Franco Paes Leme
Beneficiário:Mariana Rodrigues Zanetti
Instituição-sede: Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS). Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM). Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Brasil). Campinas, SP, Brasil
Assunto(s):Espectrometria de massas   Metaloproteinases   Proteômica   Neoplasias

Resumo

Câncer oral é um dos tipos de câncer mais comuns em humanos. Entre eles, o carcinoma oral de células escamosas ocorre com a maior freqüência, sendo que o carcinoma de células escamosas de cabeça e pescoço é o quinto mais comum no mundo. Os carcinoma oral de células escamosas (COCEs) são altamente invasivos e essa invasão ocorre principalmente através da atividade proteolítica da membrana basal e da matriz extracelular por metaloproteinases. Proteases são reguladoras chaves da interação célula-célula e célula-matriz extracelular e podem estar associadas à tumorigênese e metástase. As ADAMs, família de proteases de membrana, têm sido consideradas componentes críticos nesse processo por estarem com a expressão aumentada em inúmeros tumores, apresentando forte correlação aos parâmetros de progressão da doença. Algumas proteínas como ciclina D1, proteína Ki76, proteína anti-apoptótica BcI-2, Faz, proteínas crystalina, HSP27, estratifina, vimentina, superperóxido dismutase, anexina V e II, proteínas ligadoras de cálcio da família S100, YWHAZ, claudina 1, Mac-2 binding protein, entre outras também apresentaram-se diferencialmente expressas em linhagens celulares ou tumores de câncer de cabeça e pescoço. Estudos recentes do nosso grupo têm mostrado proteínas e peptídeos diferenciais entre carcinoma oral de células escamosas comparando-se ao controle normal com ADAMs ativadas ou não (Belloni M, bolsista de iniciação científica da FAPESP). Apesar desse estudo utilizando linhagem celular apontar candidatos potenciais que podem estar envolvidos diretamente, indiretamente ou ser resultante do processo tumoral, esses candidatos devem ser validados in vivo, considerando as características de complexidade e a heterogeneidade desse sistema. Assim, os objetivos deste trabalho serão determinar a composição de proteínas e peptídeos do carcinoma oral de células escamosas e avaliar a expressão gênica e protéica de ADAM9, 10, 12, 15, 17 e 19 Esses resultados serão comparados com os resultados obtidos de cultura de células de queratinócitos e de carcinoma oral de células escamosas. A identificação de proteínas/peptídeos em um tipo de câncer e em células normais pode representar uma estratégia interessante para elucidar interações dinâmicas e espaciais entre proteínas, eventos de sinalização e também interações entre as células e o microambiente do tumor.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.