Busca avançada
Ano de início
Entree

Sobrecarga familiar em pacientes com sintomas negativos de esquizofrenia

Processo: 09/02011-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2009
Vigência (Término): 31 de maio de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Pesquisador responsável:Cláudio Eduardo Muller Banzato
Beneficiário:Érika Fernandes Costa Pellegrino
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Esquizofrenia   Psicopatologia

Resumo

Os sintomas negativos da esquizofrenia são um componente comum, duradouro e debilitante de sua psicopatologia. Pacientes que apresentam sintomas negativos significativos têm pior funcionamento social e laboral e pior qualidade de vida. Apesar da importância destas questões, ainda existem estudos insuficientes na tentativa de refinar nosso entendimento destes sintomas incapacitantes. Os transtornos mentais, entretanto, não exercem impacto só sobre o indivíduo, mas também sobre a comunidade, especialmente a família, já que com a desinstitucionalização psiquiátrica, o familiar passa a ser o principal cuidador do paciente. Com essa mudança, essas famílias passaram a submeter-se a um intenso estresse emocional e econômico, e o elemento de sofrimento é atribuído explicitamente ao paciente, o que caracteriza a sobrecarga familiar. Alguns estudos apontam que apesar de os problemas associados aos sintomas positivos levarem a uma maior apreensão por parte dos familiares, os sintomas negativos constituem freqüentemente os mais problemáticos, sendo muitas vezes não atribuídos à doença e levando os pacientes a serem taxados de "preguiçosos", "egoístas" ou "inúteis". Isso é compatível com o fato de que, apesar de a reforma psiquiátrica necessitar da participação dos familiares como rede de apoio, os próprios profissionais da saúde não provêm aconselhamento ou suporte adequados para que os familiares obtenham informação a respeito da doença ou de como lidar com comportamentos problemáticos. A partir disso, esse trabalho busca, utilizando uma escala válida, identificar, quantificar e classificar a sobrecarga familiar, relacionando-a aos tipos de sintomas apresentados por um grupo de pacientes portadores de esquizofrênia.