Busca avançada
Ano de início
Entree

Tempo de sobrevivência do Streptococcus agalactiae nos meios de transporte stuart e Amies, em diferentes meios vaginais de gestantes

Processo: 04/06712-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2004
Vigência (Término): 31 de agosto de 2005
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:José Antonio Simões
Beneficiário:Giana Balestro Poletti
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Gravidez   Testes

Resumo

O Streptococcus agalactiae, ou Estreptococo beta-hemolítico do grupo B (EGB) é um diplococo gram positivo causador de colonização e infecção em gestantes e neonatos. Como estratégia preventiva intraparto, a antibioticoprofilaxia tem documentado um significante decréscimo da incidência de infecção neonatal precoce. Existem atualmente dois meios de transporte disponíveis no mercado nacional: Amies e Stuart. Entretanto não se sabe até o presente se há diferenças significativas no tempo de preservação do EGB nesses dois meios de transporte entre as amostras de diferentes meios vaginais de gestantes brasileiras. Neste trabalho serão incluídas amostras de conteúdo vaginal de 30 gestantes atendidas no Ambulatório de Pré-Natal do CAISM/UNICAMP. Após homogeneização, as amostras serão inoculadas com uma concentração-padrão de 1-2x108 UFC da cepa ATCC nº 13818. Após a inoculação com esta cepa, serão obtidos 6 swabs desta mistura homogeneizada; 3 deles serão adicionados ao meio de transporte Amies e os outros 3 ao meio Stuart. Todos os tubos serão mantidos a temperatura ambiente para posterior semeadura e incubação, após 8, 24 e 48 horas. As freqüências de crescimento de EGB nos diferentes tempos serão comparadas através do teste qui-quadrado. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.