Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da fragmentação na predação de ninhos artificiais em região de Mata Atlântica, Caucaia do Alto, SP

Processo: 03/12723-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2004
Vigência (Término): 30 de junho de 2004
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia
Pesquisador responsável:Jean Paul Walter Metzger
Beneficiário:Carlos Ernesto Candia Gallardo
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:99/05123-4 - Conservação da biodiversidade em paisagens fragmentadas no Planalto Atlântico de São Paulo (Brasil), AP.BTA.TEM
Assunto(s):Fragmentos florestais   Ninhos   Predação   Mata Atlântica

Resumo

A fragmentação florestal apresenta-se como uma das mais sérias ameaças a biodiversidade. Diversos trabalhos têm reportado reduções populacionais e extinções locais de avifauna em regiões neotropicais em virtude da fragmentação de tais habitats. Aumento na predação de ninhos em fragmentos florestais têm sido um argumento freqüentemente levantado para explicar tal fenômeno. Têm sido sugerido que o tamanho de fragmentos florestais apresenta relação inversa com a predação de ninhos, porém poucos estudos publicados foram levados a cabo nos neotrópicos, e principalmente em região de Mata Atlântica, para testar tal hipótese. Os poucos estudos disponíveis têm encontrado resultados controversos e não tem levado em consideração a influência das áreas de entorno dos fragmentos na predação de ninhos. Desta forma, o presente trabalho propõe-se a avaliar o efeito do tamanho dos fragmentos florestais na predação de ninhos em Caucaia do Alto - SP, região de Mata Atlântica. Pretende-se abordar, de forma inédita na região neotropical, esta questão levando em consideração a influência da heterogeneidade espacial das áreas de entorno dos fragmentos e da escala espacial, conceitos característicos da ecologia de paisagens. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.