Busca avançada
Ano de início
Entree

Segmentação, dispersão e descentralização internacional das atividades corporativas: as estratégias e o papel das empresas prestadoras de serviços de manufatura nas redes de produção global

Processo: 05/59062-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2006
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2006
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Economia - Economia Industrial
Pesquisador responsável:Rogério Gomes
Beneficiário:Camila Zeitoum
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Internacionalização   Reestruturação produtiva   Cadeias globais de valor   Manufatura

Resumo

A literatura econômica vem registrando o aumento da internacionalização das atividades produtivas e tecnológicas pelas empresas transnacionais (ETNs) visando novas oportunidades de apropriação de ativos, de aplicação de recursos e de exploração das capacidades internas à firma em âmbito mundial. Esta tendência sugere uma nova forma de organização industrial, na qual a matriz da ETN mantém sob sua responsabilidade as competências que considera centrais e transfere para as filiais, ou terceiriza para firmas especializadas, as atividades que não se relacionam diretamente com a manutenção ou aumento do poder de mercado da empresa. Neste novo contexto, algumas localidades no estrangeiro, entre elas algumas em países em desenvolvimento, são responsabilizadas pela manufatura de produtos que estão na fronteira tecnológica. É de se supor que estas atividades provoquem algum tipo de benefícios para as economias locais através de transbordamentos (spillovers) de conhecimento e na capacitação da mão de obra. Este estudo pretende analisar as estratégias das firmas que são contratadas para fornecer serviços de manufatura, principalmente no que se refere à distribuição das atividades produtivas e tecnológicas pelo mundo. Busca-se identificar possíveis estratégias de internacionalização, bem como examinar o papel reservado às diferentes regiões do mundo, em especial o do Brasil. (AU)