Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise histológica da efetividade das membranas de colágeno e de mamona no tratamento de defeitos ósseos em tíbias de rato

Processo: 00/07926-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2000
Vigência (Término): 31 de agosto de 2001
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Cirurgia Buco-maxilo-facial
Pesquisador responsável:José Ricardo de Albergaria Barbosa
Beneficiário:Caio Rodrigo Pacheco Lopes
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Membranas (biologia)   Reparo ósseo   Regeneração óssea

Resumo

O tecido ósseo possui uma alta capacidade de reparação quando lesionado, repondo, depois de um breve intervalo de tempo, toda a porção perdida. No entanto, em alguns casos de defeitos ósseos extensos, que não têm a capacidade de repararem-se espontaneamente, há a necessidade dos profissionais utilizarem diversas técnicas cirúrgicas na tentativa de reparação da deficiência óssea. Atualmente não existe um material ideal, pois os ossos autógeno, liofilizado e desmineralizado e os biomateriais apresentam vantagens e desvantagens. Em 1984, o grupo de Química analítica e Tecnologia de Polímeros da Escola de Engenharia de São Carlos (USP) desenvolveu uma resina de poliuretana extraída do óleo da mamona Ricinus comunis da classe dicotiledônea, da origem geraniácea e família das Euforbaceas. Este polímero possui como vantagem a processabilidade, flexibilidade de formulação, excelentes propriedades estruturais, ausência de emissão de irritantes ou vapores tóxicos, além da biocompatibilidade. Embora a regeneração tecidual guiada seja atualmente um dos assuntos mais pesquisados dentro da odontologia, existe ainda na literatura uma certa escassez de trabalhos comparando a eficiência entre si dos vários tipos de membranas reabsorvíveis no tratamento de defeitos ósseos. O objetivo deste trabalho será o de analisar através de avaliação histológica, em tíbias de ratos, a efetividade das membranas reabsorvíveis de colágeno e de mamona no tratamento de defeitos ósseos. (AU)