Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise ex vivo de lesões bucais por espectroscopia ft-ir

Processo: 10/15363-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2010
Vigência (Término): 31 de outubro de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Pesquisador responsável:Janete Dias Almeida
Beneficiário:Laís Morandini Carvalho
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOSJC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José dos Campos. São José dos Campos , SP, Brasil
Assunto(s):Semiologia   Neoplasias   Pacientes

Resumo

Analisar de maneira objetiva e qualitativa tecidos bucais pela técnica de Espectroscopia FT-IR utilizando-se o Espectrômetro FT-IR 660 Varian Inc,com o acessório de Reflexão Total Atenuada (ATR). Através desta técnica de biópsia óptica estabelecer diagnóstico dentre os diversos tipos de lesões bucais, como: neoplasias malignas e benignas, lesões potencialmente cancerizáveis e lesões inflamatórias, e associar os espectros obtidos aos achados histopatológicos.Os pacientes atendidos no ambulatório de Propedêutica Estomatológica do Departamento de Biociências e Diagnóstico Bucal da FOSJC/UNESP, que serão submetidos à biópsia incisional ou excisional de processos proliferativos não neoplásicos (PPNN) serão convidados a participar da pesquisa. Os pacientes receberão informações relacionadas aos procedimentos e objetivos da pesquisa e aqueles que aceitaram participar assinaram o termo de compromisso livre e esclarecido após a leitura do mesmo.As amostras das lesões bucais e das mucosas normais serão obtidas através de biópsia incisional ou excional, totalizando 30 amostras.Os espectrômetros instalados na Central Experimental Multi-usuário da Universidade Federal do ABC (UFABC), FT-IR 660 e FT-IR 610 - Varian Inc serão utilizados para aquisição dos dados espectrais. Após a coleta dos espectros, as amostras serão fixadas em solução de formol a 10 % para fixação, devidamente identificadas e enviadas para análise histopatológica no Laboratório de Patologia Bucal do Departamento de Biociências e Diagnóstico Bucal da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP. Os espectros obtidos e armazenados pelo software de controle do equipamento serão convertidos para o formato ASCII, para posterior processamento e análise no Minitab 14.20.P Campus de São José dos Campos.Os resultados obtidos por meio desta metodologia de classificação aplicada aos espectros serão validados por meio da Curva de ROC (Receveir Operating Characteristic). Para verificar a sensibilidade e a especificidade do estudo, será realizado o cálculo da área abaixo da curva ROC, a qual apresenta associação ao poder discriminante do teste diagnóstico. As coordenadas deste gráfico (x e y)