Busca avançada
Ano de início
Entree

Simulação da produção de etanol via caldo e bagaço da cana-de-açúcar: avaliação de diferentes cenários operacionais

Processo: 07/03381-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2007
Vigência (Término): 31 de julho de 2008
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Processos Industriais de Engenharia Química
Pesquisador responsável:Rubens Maciel Filho
Beneficiário:Hermann Josef Donley Bairão Simon
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Química (FEQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Energia de biomassa   Etanol   Cana-de-açúcar   Bagaço de cana-de-açúcar

Resumo

A produção de etanol para utilização como carburante constitui objeto de interesse mundial quando se consideram as emissões de dióxido de carbono evitadas (interesse ambiental) e o crescente preço do barril de petróleo (interesse econômico). O uso do etanol como aditivo à gasolina representa uma opção para a diminuição das emissões de CO2 para a atmosfera. A utilização do bagaço para produção de etanol possibilita uma ampliação da capacidade de produção de etanol e o uso da palha para produção de energia, diminuindo também as emissões de CO2 por evitar a queima da palha no campo. Além do mais, novas formas de produção de energia através de fontes mais limpas, como a biomassa, atendem a um apelo de atuação sustentável. A geração de álcool a partir da biomassa de cana-de-açúcar se dá por meio de hidrólise de seus polímeros de carboidratos, de modo a transformá-los em carboidratos fermentáveis. Estudos atuais buscam a maximização do aproveitamento da biomassa (tanto da cana, quanto do bagaço, palha e resíduos da colheita) na produção de etanol. No entanto, há que se buscar uma otimização de toda a planta produtiva, uma vez que tal geração de etanol insere-se dentro da planta produtiva. Devido à estimativa de alta demanda pelo combustível etanol nos próximos anos, estudos visando a maximização de sua produção e o conhecimento que os impactos de diferentes condições operacionais exercem na produtividade de toda a planta industrial são de suma importância. Dentro desse contexto se insere o atual projeto de Iniciação Científica que visa, através do simulador comercial ASPEN (AspenTech), avaliar o impacto de diferentes cenários operacionais na quantidade de álcool produzida por uma planta de produção de etanol a partir do caldo e de biomassa de cana-de-açúcar. A planta se destina a produção de etanol desidratado, cuja desidratação se dá por absorção com monoetilenoglicol (MEG).