Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização da interação entre Células B-1 e Paracoccidioides Brasiliensis e sua influência na patogenicidade fúngica

Processo: 03/11008-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2004
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2005
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:José Daniel Lopes
Beneficiário:Fabiana Toshie de Camargo Konno
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:03/01079-8 - Células B-1: atividade biológica e importância na implantação e metastatização do melanoma murino experimental, AP.TEM
Assunto(s):Paracoccidioides brasiliensis

Resumo

A Paracoccidioidomicose (PCM) é uma micose profunda e sistêmica de caráter granulomatoso, cujo agente etiológico é o Paracoccidioides brasiiiensis (Pb), fungo termo-dimórfico que em temperatura ambiente se apresentam na forma de micélio. Tem sido demonstrado experimentalmente que células B-1 podem estar envolvidas na evolução de processos infecciosos. O papel destas células no destino da resposta inflamatória e na resistência a infecções por parasitas não foi ainda completamente estabelecido. Entretanto dados experimentais mostraram que células B-1 podem regular negativamente a eficácia das células efetoras em eliminar parasitas no sítio de inflamação. Em nosso laboratório foi demonstrado que células de melanoma e células B-1 podem interagir fisicamente resultando em clusters. Dados ainda preliminares mostraram que após co-cultivo de células de melanoma com células B-1 houve significante aumento no potencial metastático do melanoma e que o contato in vitro entre estas células induziram aumento na expressão de proteases e moléculas de adesão na superfície da membrana das células de melanoma. Com base nos resultados acima o presente projeto tem por objetivo verificar se existe a interação entre células B-1 e células leveduriformes de Paracoccicioides brasiiiensis com a formação de ciustres in vitro. Também pretende-se avaliar os efeitos desta interação no modelo PCM experimental em camundongos. (AU)