Busca avançada
Ano de início
Entree

Extração e identificação de metabólitos secundários com possível atividade foto e/ou termoprotetoras de conídio do fungo entomopatogênico Metarhizium anisopliae

Processo: 08/50222-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2008
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Bioquímica de Microorganismos
Pesquisador responsável:Gilberto Úbida Leite Braga
Beneficiário:Ana Luiza Alvarez Calil
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:03/07702-9 - Abordagens genômica e proteômica para a identificação de genes e de proteínas envolvidos na tolerância à radiação solar em fungos: aplicações para o desenvolvimento de fotossensibilizadores e para a obtenção de linhagens mais tolerantes à radiação UV, AP.JP
Assunto(s):Metabólitos secundários   Metarhizium anisopliae

Resumo

Conídios produzidos assexuadamente são responsáveis pela reprodução, dispersão e persistência ambiental de diversas espécies de fungos de interesse médico, industrial e agrícola. Nas espécies patogênicas, os conídios também são, predominantemente, as estruturas responsáveis pela infecção do hospedeiro. No caso específico do fungo entomopatogênico Metarhizium anisopliae, a inativação dos conídios pela fração UV (UVA e UVB) da radiação solar é um sério obstáculo ao sucesso dos programas que utilizam esse microrganismo para o controle de insetos vetores de doenças e pragas agrícolas. A base genética da tolerância celular à radiação solar é multifatorial é complexa, envolvendo tanto sistemas enzimáticos como sistemas não-enzimáticos. A presença de pigmentos, como as melaninas e os carotenóides; de açúcares, como a trealose; de polióis, como o manitol e de metabólitos secundários, como as micosporinas, é capaz de aumentar a tolerância à radiação em diversas espécies de fungos, Existem poucas informações disponíveis a respeito desses fotoprotetores em M. anisopliae. Na busca por micosporinas em conidios de M. anisopliae, nós extraímos e identificamos a tirosina betaína, uma molécula formada pela união da tirosina e do derivado de aminoácido betaína, cuja ocorrência natural não havia sido descrita. A determinação da função biológica da tirosina betaína nos conídios de M. anisopliae e a identificação de possíveis aplicações biotecnológicas da molécula abriram novas e interessantes perspectivas para a continuidade dos estudos. Desta forma, os objetivos deste trabalho são: (1) verificar a presença e a concentração de tirosina betaína em conídios e em micélio de diferentes linhagens de M. anisopliae e de Aspergillus nidulans; (2) otimizar as condições para a sua extração e (3) sintetizar a molécula para que possam ser conduzidos ensaios biológicos para avaliar a atividade da tirosina betaína em plantas e insetos. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.