Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização dos mecanismos moleculares envolvidos no controle da atividade do fator sigma ECF SIGF de Caulobacter crescentus

Processo: 08/55183-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2008
Vigência (Término): 30 de novembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Pesquisador responsável:Suely Lopes Gomes
Beneficiário:Christian Kohler
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:05/56969-3 - Regulação da expressão gênica em microorganismos, AP.TEM

Resumo

Os fatores sigma alternativos de procariotos permitem que a célula se adapte rapidamente a alterações no ambiente, uma vez que alteram a especificidade da RNA polimerize por diferentes promotores. C. crescentus é uma bactéria Gram-negativa de vida livre, encontrada em ambientes oligotróficos e, por isso, está sujeita a uma série de estresses ambientais. A análise do genoma completo desta bactéria demonstrou a presença de 13 fatores sigma alternativos da subfamília ECF (função extracitoplasmática), que atuam na resposta a estresses no compartimento extracitoplasmático da célula (periplasma e membranas). Os fatores ECF têm sua atividade regulada por fatores anti-sigma, proteínas de membrana interna que se ligam ao fator sigma, impedindo sua ligação a RNA polimerize. A caracterização em nosso laboratório de um dos fatores sigma ECF de C. crescentus, denominado SigF, demonstrou seu papel na resposta a fase estacionaria e levou a identificação de um grupo de genes regulados por SigF nesta fase do crescimento. Além disto, verificou-se que sigF é induzido em nível pós-transcricional pela entrada na fase estacionaria de crescimento. O gene sigF está organizado em um operon contendo um gene que codifica uma proteína com 6 domínios transmembrana, denominado CC3252. Esta organização está conservada nos genes com maior similaridade a sigF em outras bactérias, o que sugere que a proteína codificada por CC3252 atue na regulação da atividade de SigF, como um fator anti-sigma, devido a presença de domínios transmembrana. O objetivo do projeto é analisar o papel da proteína codificada pelo gene CC3252 como um fator anti-sigma de SigF, além de caracterizar a regulação pós-transcricional de SigF em resposta a fase estacionaria. (AU)