Busca avançada
Ano de início
Entree

Fracionamento seletivo do extrato etanólico de própolis vermelha usando o dióxido de carbono supercrítico

Processo: 08/51512-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2008
Vigência (Término): 30 de junho de 2010
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Engenharia de Alimentos
Pesquisador responsável:Fernando Antonio Cabral
Beneficiário:Erika Saito
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Antioxidantes   Extração supercrítica   Flavonoides

Resumo

Nos últimos anos, tem-se despertado o interesse na própolis vermelha oriunda do nordeste brasileiro. Os poucos trabalhos divulgados na literatura são recentes e reportam dados de atividade de frações obtidas por extração com metanol, etanol, hexano e clorofórmio e a identificação de alguns componentes de sua composição. Os resultados mostram que a composição deste tipo de própolis é muito diferente da composição de outros tipos de própolis brasileira já estudadas e que as propriedades ativas e sua composição diferenciada são bastante promissoras para aplicação em fármacos e em alimentos funcionais. O principal objetivo deste trabalho é o de contribuir com os estudos, usando o dióxido de carbono supercrítico (SC-CO2) como solvente e verificar se ele é adequado para fracionar o extrato etanólico seco de própolis vermelha. Visa obter frações especiais de extratos que possam concentrar substâncias bioativas de interesse para fármacos e/ou para alimentos funcionais ou nutracêuticos. Nesse sentido, os seguintes objetivos específicos foram estabelecidos: 1) Caracterizar um extrato etanólico de uma amostra de própolis vermelha quanto ao seu rendimento de extração, de atividade antioxidante e de teores de fenóis totais e de flavonóides, 2) Fracionar o extrato etanólico seco usando o dióxido de carbono supercrítico como solvente em diferentes condições operacionais de temperatura e pressão (faixa de 100 a 400 bar e de 30 a 60ºC), 4) Medir o rendimento de fracionamento (fração que é extraída), a atividade antioxidante e os teores de fenóis totais e de flavonóides nas frações (extraída e não extraída), 5) correlacionar os resultados com a seletividade do dióxido de carbono supercrítico, expressa em função das variáveis de processo (faixa de 150 a 400 bar e 30 a 70ºC). (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SAITO, ERIKA; SACODA, PATRICIA; PAVIANI, LOSIANE C.; PAULA, JULIA T.; CABRAL, FERNANDO A. Conventional and supercritical extraction of phenolic compounds from Brazilian red and green propolis. SEPARATION SCIENCE AND TECHNOLOGY, FEB 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.