Busca avançada
Ano de início
Entree

Estabilidade da GFPuv Èm soluções dè glicose e Èm diferentes soluções-tampão comparação com Esporos de Bacillus subtilis

Processo: 03/10762-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2004
Vigência (Término): 31 de outubro de 2006
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Thereza Christina Vessoni Penna
Beneficiário:Juliana Sayuri Kunimura
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Estabilidade térmica   Bacillus subtilis   Glicose

Resumo

Soluções Parenterais de Grande Volume (SPGV) são medicamentos destinados às reposições de perdas hídricas, eletrolíticas ou energéticas e utilizadas como veículos na administração de medicamentos (ANVISA, 1997). Sendo as soluções de glicose as formulações mais utilizadas no universo hospitalar, as etapas de produção das mesmas devem ser rigorosamente controladas, pois a menor contaminação microbiana pode comprometer a saúde do usuário. Esporos bacterianos de B. subtilis são indicados como indicadores biológicos (IB) na avaliação do desempenho e condições de operação de procedimentos de autoclavação. A proteína verde fluorescente recombinante (GFPuv) foi escolhida para ser estudada como potencial IB na aferição da eficiência dos procedimentos elencados devido apresentar rapidez e precisão de resposta. O presente trabalho tem por objetivo comparar o comportamento de esporos de B. subtilis e da GFPuv, possibilitando a validação desta última, como um indicador biológico. Para isto, pretende-se estudar: (i) a influência das propriedades intrínsecas (pH, Aa, viscosidade, osmolaridade, condutividade) das soluções de glicose nas características térmicas da GFPuv; (ii) a. interferência dos componentes das soluções-tampão a serem utilizados (eletrólitos) nas propriedades intrínsecas das soluções de glicose; (iii) a estabilidade térmica no intervalo de temperaturas entre 85°C e 104ºC, da GFPuv; (iv) os parâmetros cinéticos de destruição térmica. (AU)