Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do processo desmielinizante e remielinizante pos-injecao do brometo de etidio no tronco encefalico de ratos "wistar" experimentalmente submetidos ao modelo de "diabetes mellitus "...

Processo: 00/12464-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2001
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2001
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Eduardo Fernandes Bondan
Beneficiário:Claudia Pestana Ribeiro
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária. Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Instituto Metodista de Ensino Superior (IMS). São Bernardo do Campo , SP, Brasil
Assunto(s):Sistema nervoso central   Células de Schwann

Resumo

Maior vulnerabilidade à desmielinização tem sido relatada em ratos diabéticos por prejuízo na função das células de Schwann de manter a integridade das bainhas de mielina no Sistema Nervoso Periférico (SNP). O modelo desmielinizante do brometo de etídio (BE), quando empregado no Sistema Nervoso Central (SNC), tem permitido detectar a presença invasiva de células de Schwann em função do desaparecimento dos astrócitos formadores da membrana limitante glial. O presente estudo tem por objetivo observar se existe interferência no processo de perda e reparo mielínico pós-injeção do gliotóxico no SNC de ratos previamente submetidos ao modelo diabetogênico da estreptozotocina. Para tal, ratos Wistar adultos serão tratados para indução da Diabetes mellitus mediante injeção intravenosa de estreptozotocina na dose única de 50 mg/kg. Dez dias após, receberão injeção de 10 microlitros de BE a 0,1% (grupo E) ou de salina a 0,9% (grupo C) na cisterna basal do tronco encefálico. Os animais serão, a seguir, perfundidos por via intracardíaca com solução de glutaraldeído a 4% dos 7 aos 31 dias pós-injeção, com colheita de amostras do tronco encefálico para estudo ultra-estrutural por microscopia eletrônica de transmissão. (AU)