Busca avançada
Ano de início
Entree

O estudo da estrutura secundária das zeínas z19 e penisetina por FTIR e de suas formas por MFA e DLS

Processo: 01/08779-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2001
Vigência (Término): 30 de abril de 2003
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Biofísica Molecular
Pesquisador responsável:Luiz Alberto Colnago
Beneficiário:Milton Roque Bugs
Instituição-sede: Embrapa Instrumentação Agropecuária. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA). Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Brasil). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Elementos estruturais de proteínas   Espectroscopia de infravermelho com transformada de Fourier   CD

Resumo

As zeínas, proteínas de reserva do milho, representam cerca de 80% das proteínas desse cereal e constituem uma importante fonte protéica da dieta humana, mas são pobres em aminoácidos essenciais como lisina e triptofano, por isso proteínas de baixo valor nutricional. Para melhorar a qualidade protéica do milho há necessidade de redução do teor de zeínas no grão ou modificação da composição de seus aminoácidos, através de técnicas de engenharia genética. As alfa zeínas tem sido estudadas como matérias primas, principalmente por serem biodegradáveis e renováveis. As alfa zeínas possuem alta hidrofobicidade, permitindo a confecção de filmes comestíveis para cobertura de medicamentos e alimentos, que protegem tais produtos da umidade e oxidação. As alfa zeínas, misturas das proteínas com massa molecular de 19 e 22 KDa, estudadas com os mais variados métodos de análise estrutural, ainda não tendo estrutura tridimensional dessas proteínas em alta resolução, por dificuldade de sua purificação, da formação de cristais ou marcação isotópica para RMN. O objetivo deste projeto é a caracterização estrutural das zeínas na forma mais pura da Z19 extraída do milho BR451 e Penisetina extraída do mileto (equivalente a Z22) por Espectroscopia no Infravermelho, dicroísmo circular e fluorescência e de suas formas por Microscopia de Forca Atômica e Espalhamento Dinâmico de Luz. (AU)