Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do potencial ecotoxicológico de interferentes endócrinos em amostras de água e sedimento na presença de substâncias húmicas: formulação e aplicação de sedimentos artificiais em testes ecotoxicológicos

Processo: 10/11537-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2010
Vigência (Término): 30 de setembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:André Henrique Rosa
Beneficiário:Renata Fracácio Francisco
Instituição-sede: Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental de Sorocaba. Sorocaba , SP, Brasil
Assunto(s):Água   Sedimentos

Resumo

Os interferentes endócrinos (IE) são uma classe emergente de contaminantes presentes em sistemas aquáticos brasileiros. Este fato, associado à ausência de padrões de qualidade de água e de emissão para os mesmos, em legislação vigente, torna relevante os estudos associados ao seu comportamento e interações nos sistemas aquáticos, bem como a sua atuação nos sistemas biológicos. Para tanto, os objetivos gerais do presente trabalho, são: 1) Avaliar o comportamento dos IE Bisfenol A (BA), 17b-estradiol (E) e 17a-etinilestradiol (EE) sobre organismos-teste representativos da coluna de água e do sedimento, na presença de Substâncias Húmicas Aquáticas (SHA), mimetizando situações reais, evitando-se, conseqüentemente, superestimar ou subestimar os potenciais tóxicos dos mesmos e 2) Estabelecer protocolos de possíveis formulações de sedimentos aplicáveis a testes de toxicidade para estudar o comportamento de poluentes IE. Para a avaliação do comportamento e toxicidade do complexo IE-SHA na água, será utilizado como organismo teste a espécie de peixe Pimephales promelas, considerando-se todas as fases do ciclo de vida. Nos sedimentos, para as mesmas avaliações, serão testadas várias formulações, com base em condições reais, enfatizando-se diferentes fontes e concentrações de SHA, de modo a proporcionar fidedignidade em estudos ecotoxicológicos. No sedimento o organismo-teste utilizado será o amphipoda dulcícola epibentônico Hyalella azteca, considerando-se todo o seu ciclo de vida e também a geração F1. A elaboração de protocolos experimentais para sedimentos formulados permitirá o uso de metodologia padronizada entre laboratórios e por conseqüência, uma maior confiabilidade na comparação de dados em estudos concentração-resposta. Este trabalho poderá contribuir ainda para o estabelecimento de padrões de qualidade de interferentes endócrinos em águas e sedimentos.