Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo fitoquímico de Vernonia polyanthes less (Asteraceae)

Processo: 10/05820-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2010
Vigência (Término): 30 de junho de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacognosia
Pesquisador responsável:Fernando Batista da Costa
Beneficiário:Michelle Ogava Igual
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Asteraceae   Química de produtos naturais

Resumo

A família Asteraceae é uma das maiores e mais fascinantes entre as Angiospermae, sendo caracterizada quimicamente pela elevada capacidade de biossintetizar metabólitos secundários com grande diversidade estrutural, havendo predominância de flavonóides, poliacetilenos, cumarinas e terpenóides. Entre os últimos, destacam-se, devido às suas atividades biológicas e ocorrência quase restrita à família Asteraceae, as lactonas sesquiterpênicas (LST). Dentro da família Asteraceae há um particular interesse pela tribo Vernonieae, pois o Brasil é reconhecido como um de seus principais centros de ocorrência. O gênero Vernonia Schreb destaca-se na tribo por ser o gênero com maior número de espécies, das quais aproximadamente 200 ocorrem no Brasil. Quimicamente, o gênero é caracterizado pela presença de flavonas, flavonóis e LST dos tipos hirsutinolido e glaucolido. Vernonia polyanthes Less, popularmente conhecida como assa-peixe, é uma espécie utilizada na medicina popular brasileira no tratamento de afecções do aparelho respiratório e digestivo, problemas renais, como diuréticos, tônicos, no tratamento de infecções do útero, feridas, torções, contusões e luxações. Os estudos fitoquímicos anteriores desta e de outras espécies de Vernonia foram focados em extratos de média polaridade em busca quase exclusivamente de LST. No entanto, o emprego destas plantas na medicina popular utiliza-se principalmente de extratos hidroalcoólicos e infusões. Assim sendo, justifica-se um estudo das frações de alta polaridade para o isolamento e identificação de seus constituintes. Além disso, a fração de média polaridade também será investigada, visando o isolamento de LST e flavonóides agliconas. As substâncias isoladas serão adicionadas ao banco de metabólitos secundários do Laboratório de Química Orgânica da FCFRP, utilizadas em estudos de vias de fragmentação por espectrometria de massas com ionização por electrospray e utilizadas em bioensaios e estudos de interação planta-inseto, uma linha de pesquisa que está sendo implantada no Laboratório de Química Orgânica da FCFRP pelo orientador.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
IGUAL, MICHELLE OGAVA; POLETI MARTUCCI, MARIA ELVIRA; DA COSTA, FERNANDO BATISTA; GOBBO-NETO, LEONARDO. Sesquiterpene lactones, chlorogenic acids and flavonoids from leaves of Vernonia polyanthes Less (Asteraceae). Biochemical Systematics and Ecology, v. 51, p. 94-97, DEC 2013. Citações Web of Science: 12.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.