Busca avançada
Ano de início
Entree

Expressão do co-ativador da transcrição gênica PGC-1 durante a resposta imune a bactérias

Processo: 07/07897-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2008
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2008
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Heraldo Possolo de Souza
Beneficiário:Paola Celina de Carvalho Silva
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Imunologia   Reação em cadeia da polimerase via transcriptase reversa (RT-PCR)   Mitocôndrias   Fagocitose   Macrófagos

Resumo

PGC-1 alfa e beta são proteínas co-ativadoras, uma classe de reguladores de transcrição que, embora, não se liguem ao DNA diretamente, também podem controlar programas de resposta gênica. PGC-1 a e b se ligam a vários fatores de transcrição, levando ao aumento da expressão de genes envolvidos na biogênese mitocondrial e aumento da função respiratória, causando aumento da capacidade enzimática para beta-oxidação de ácidos graxos, ciclo de Krebs e fosforilação oxidativa. Aumento da expressão de PGC-1 ocorre em situações onde há aumento da necessidade energética, como durante o treinamento físico; animais deficientes em PGC-1 são intolerantes ao exercício e apresentam disfunção cardíaca. Durante a resposta imune, principalmente quando a fagocitose está envolvida, ocorre aumento do consumo de oxigênio pelos leucócitos, tanto pela geração de superóxido através da oxidase (Nox2) como pelas mitocôndrias.Assim, nosso objetivo é determinar se ocorre modulação da expressão de PGC-1 (alfa e beta) durante a resposta imune a bactérias.Inicialmente, serão utilizados macrófagos em cultura, derivados de linhagens monocíticas murinas e humanas, expostos a bactérias (Escherichia coli) por diferentes tempos. A expressão de RNA mensageiro para PGC-1 (a e b) será determinada, através de ensaios quantitativos de polimerase de reação em cadeia ("real time PCR"). Para determinar se o mesmo fenômeno ocorre in vivo, camundongos serão inoculados intraperitonealmente com E.coli e a expressão de PGC-1 será determinada nos macrófagos peritoneais. Acreditamos que os dados obtidos poderão mostrar novos mecanismos de controle da função imune podendo, inclusive, sugerir novos alvos terapêuticos anti-inflamatórios.