Busca avançada
Ano de início
Entree

Comportamento de escherichia coli produtora de toxina de shiga em meios acidos

Processo: 08/58726-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2009
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos
Pesquisador responsável:Mariza Landgraf
Beneficiário:Adriana Lucatelli
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Escherichia coli   Escherichia coli Shiga toxigênica   Estresse ácido   Sucos de frutas

Resumo

Escherichia coli é uma bactéria Gram-negativa, pertencente à família Enterobacteriaceae, considerada um bom indicador da qualidade higiênico-sanitária de alimentos. A espécie inclui cepas não patogênicas e patogênicas, que habitam o intestino de animais de sangue quente. Dentre as cepas patogênicas encontra-se o grupo das E. coli produtoras de toxinas de Shiga (STEC) que habitam principalmente o intestino de ruminantes e são causadoras de patologias em seres humanos que incluem: diarréias não-sanguinolentas e sanguinolentas, colite hemorrágica, síndrome hemolítica urêmica e púrpura trombótica trombocitopênica, podendo levar a danos crônicos como falência renal. E. coli O157:H7 é o sorotipo mais comumente envolvido em casos de infecções humanas de origem alimentar e os alimentos mais implicados na transmissão deste organismo são cames mal cozidas, leites e seus derivados não pasteurizados, frutas e vegetais contaminados. Embora pouco estudados, outros sorotipos que não o O157:H7 também são potencialmente patogênicos e capazes de gerar os mesmos danos já mencionados. As STECs apresentam um mecanismo de tolerância a situações de estresse como baixo pH e baixa atividade água, o que toma a ingestão de alimentos com essas condições um risco para a saúde pública. Desta forma, a compreensão acerca da sobrevivência e do comportamento dos demais sorotipos deste grupo de E. coli é de enorme importância para o desenvolvimento de métodos para o seu controle em alimentos. Assim, este trabalho tem por objetivo verificar o comportamento de linhagens de STEC não O157:H7 submetidas às condições de estresse de baixo pH utilizando para tanto meios de cultura acidificados e matriz alimentar sucos de frutas. (AU)