Busca avançada
Ano de início
Entree

Degradação eletroquímica de chorume de lixo

Processo: 02/03692-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2002
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2002
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Físico-química
Pesquisador responsável:Artur de Jesus Motheo
Beneficiário:Eduardo Nicolodi
Instituição-sede: Instituto de Química de São Carlos (IQSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Cromatografia líquida de alta pressão   Chorume   Lixo

Resumo

Dentre as várias formas de poluição, o lixo tem sido um problema com poucas soluções viáveis, especialmente o chorume por ele produzido. Esse liquido foi, durante a década de 50, considerado responsável por vários problemas de saúde. O chorume se caracteriza por ser um líquido negro, de composição extremamente complexa, alto valor de DQO (Demanda Química de Oxigênio), altos valores de DBO (Demanda bioquímica de oxigênio), traços de metais dissolvidos e amônia. O tratamento mais utilizado para este poluente é a digestão biológica, que demanda uma área física muito grande e não compensa a velocidade de formação do poluente. Este projeto tem por objetivo o estudo da degradação eletroquímica de substâncias orgânicas presentes no chorume de lixo e que se constituem em agentes poluentes do meio ambiente. Serão analisados alguns parâmetros como a densidade de corrente, DQO (Demanda Química de Oxigênio), a variação do teor de carbono orgânico total (COT), teor de fenóis totais e a variação de cor. Os estudos envolverão basicamente as técnicas eletroquímicas de voltametria cíclica e de eletrólise a potencial controlado e a análise através da quantidade de COT, cromatografia líquida de alta eficiência (HPLC), DQO e quantidade de fenóis total. Será utilizado um reator com célula de fluxo, contendo eletrodo de trabalho e contra eletrodo de platina ou aço inoxidável separados entre si por uma membrana de Náfion. (AU)