Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação do metaboloma de eucaliptos submetidos a estresse por fungos usando técnicas quimiométricas de ordem superior e dados obtidos por cromatografia gasosa bidimensional abrangente com..

Processo: 09/52538-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2009
Vigência (Término): 31 de agosto de 2010
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Ronei Jesus Poppi
Beneficiário:Marcio Pozzobon Pedroso
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Quimiometria   Eucalipto

Resumo

Neste projeto pretende-se desenvolver novas estratégias de análise a problemas bioquímicos envolvendo métodos quimiométricos para tratamento de dados obtidos por Cromatografia Gasosa Convencional (GC) e Cromatografia Gasosa Bidimensional Abrangente (GCxGC). Pretende-se usar ferramentas quimiométricas de ordem superior como Análise de Fatores Paralelos (PARAFAC), Análise de Componentes Principais Multilinear (M-PCA) e Resolução de Curvas Multivariadas (MCR) para tratamento dos dados brutos para identificar diferenças na composição do metaboloma de eucalipto sob condições normais e sob estresse causado por fungos. Serão desenvolvidas metodologias para a caracterização analítica de metabolitos primários e secundários de folhas e outras partes de diferentes espécies de eucaliptos, empregando GC e GCxGC. Serão empregadas amostras sadias e contaminadas por fungos caracterizados como agentes patógenos importantes em culturas comerciais dessa planta (Ceratocystis paradoxa, Puccinia psidii e Mycosphaerella spp.). O GCxGC-qMS, disponível no Laboratório de Cromatografia Gasosa - IQ/UNICAMP, será usado para separação e identificação dos compostos. O isolamento dos compostos voláteis será feito por Microextração em Fase Sólida (SPME), enquanto que a extração dos metabolitos não-voláteis será feita por extração com solventes e processos de derivatização. Espera-se que os resultados possam ser empregados na compreensão dos processos bioquímicos durante o processo de infecção no patossistema fungo x eucalipto e na identificação rápida de variedades de eucaliptos suscetíveis ou resistentes a fungos. (AU)