Busca avançada
Ano de início
Entree

Modificação do citocromo c pelo ChAld

Processo: 08/52444-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2008
Vigência (Término): 10 de fevereiro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica
Pesquisador responsável:Sayuri Miyamoto
Beneficiário:Fernando Valentim Mansano
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Colesterol   LDL-Colesterol   Oxigênio singleto   Doenças neurodegenerativas

Resumo

O colesterol é um dos lipídeos neutros mais abundantes encontrados em membranas biológicas. Sua oxidação resulta na formação de hidroperóxidos, aldeídos, e epóxidos, chamados em conjunto de oxiesteróis. Níveis elevados de oxisterois têm sidos associados a doenças cardiovasculares e neurodegenerativas. Recentemente, estudos mostraram a formação de colesterol secoaldeido (3β-hidroxi-5-oxo-5,6-secocolestan-6-al, Csec) e sua forma aldolizada, o colesterol carboxiaideído (3β-5-dihidroxi-5β-B-norcolestane-6β-carboxialdeido, ChAld) em placas ateroscleróticas e atribuíram a formação destes produtos à oxidação mediada por ozônio gerado em meio biológico. No entanto, esta atribuição é controversa, uma vez que estudos em nosso laboratório verificaram a formação desses dois compostos, em particular de ChAld, na reação do colesterol com o oxigênio singlete. A investigação dos mecanismos responsáveis pela formação destes aldeídos em meio biológico está em andamento. Para esta finalidade faz-se necessário a utilização de técnicas sensíveis e específicas de detecção de ChAld em sistema biológico. Neste estudo propomos a utilização de uma sonda fluorescente para a detecção e quantificação de ChAld de modo específico. A técnica baseia-se na análise do adulto formado entre a sonda e o ChAld por HPLC acoplado a um detector de fluorescência. A eficiência desta nova metodologia será avaliada por meio da utilização da sonda fluorescente para a detecção de ChAld em amostras de LDL e em neuroblastomas submetidos à oxidação in vitro. (AU)