Busca avançada
Ano de início
Entree

Aspectos fisiológicos, bioquímicos e moleculares do florescimento e frutificação de laranjeira "valência"

Processo: 07/55207-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2007
Vigência (Término): 30 de setembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia
Pesquisador responsável:Paulo Mazzafera
Beneficiário:Milton Massao Shimizu
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:05/57862-8 - Florescimento e frutificação em laranjeira Valência: aspectos anatômicos, fisiológicos, bioquímicos e moleculares, AP.TEM
Assunto(s):Citrus   Floração   Fotossíntese   Frutificação   Nitrogênio   Carboidratos

Resumo

Os laranjais paulistas apresentam baixa eficiência produtiva e alternância de safra. O manejo agrícola visando à estabilidade da produção depende da melhor compreensão da interação entre os fatores ambientais e os processos fisiológicos que a determinam. A laranjeira é composta por órgãos (folhas) que funcionam como fonte de fotoassimilados (fonte) e por vários órgãos (folhas, raízes, ramos, flores, frutos) que, pelo menos em um estádio de desenvolvimento, consomem os carboidratos (drenos) produzidos pela fotossíntese, e acumulam o excesso, servindo como reserva e posteriormente remobilizando para outros órgãos quando esta não atender à demanda. Na primavera, após a indução, ocorre intenso florescimento seguido de alta abscisão de flores e de frutos jovens. A fotossíntese e o teor de reservas podem afetar a fertilização, a fixação e o crescimento dos frutos. No verão, as condições climáticas favorecem a produção de fotoassimilados, que mantém o fornecimento de carboidratos para o crescimento da planta e acúmulo de reservas, fornecendo substrato e água para o crescimento dos frutos. Os frutos não acumulam amido nas vesículas de suco e há acúmulo de ácidos orgânicos, ligando diretamente o ciclo respiratório e a translocação a partir das folhas e o metabolismo de açúcares no próprio fruto. Pouco se sabe sobre o metabolismo de N na laranjeira, apesar dos estudos com a nutrição nitrogenada nas folhas. Nesse projeto têm-se como objetivos analisar por 2 anos as interações fisiológicas e bioquímicas no florescimento e frutificação em laranjeira 'Valência' onde serão observados o florescimento, a frutificação, o envolvimento de carboidratos e avaliar as enzimas de metabolismo do carbono e do nitrogênio nesses processos e a expressão dos genes correspondentes. (AU)