Busca avançada
Ano de início
Entree

Medidas em larga escala de propriedades ópticas de aerossóis biogênicos da Amazônia

Processo: 09/50469-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2009
Vigência (Término): 30 de abril de 2011
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências
Pesquisador responsável:Paulo Eduardo Artaxo Netto
Beneficiário:Kenia Teodoro Wiedemann
Instituição-sede: Instituto de Física (IF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Amazônia   Aerossóis

Resumo

Partículas de aerossóis atmosféricos desempenham num papel fundamental em vários processos críticos na questão das mudanças climáticas globais.A emissão antropogênica de partículas de aerossóis altera o balanço de radiação solar.alterando o perfil de temperatura da atmosfera, e afeta fortemente a microfísica de nuvens alem de outros efeitos secundários.Este plano endereça vários aspectos da distribuição e propriedades ópticas de partículas de aerossóis na Amazônia.Como parte do experimento LBA/BARCA,realizamos uma campanha de medidas em larga escala de propriedades físicas de partículas de aerossóis na região Amazônica em Nov/2008 em 18 vôos com o avião Bandeirante do INPE cobrindo praticamente toda a região amazônica em mais de 90 horas de vôo. O avião foi instrumentalizado para medidas de espalhamento óptico e absorção de radiação distribuição de tamanho de partículas nanométricas e na faixa óptica, concentração total de partículas e outras propriedades. Medidas de vários gases foram realizadas em paralelo, como O3,CO2 e outros. Este plano visa também executar a segunda campanha de amostragem em junho, na transição entre a estação chuvosa e a seca.em toda a Amazônia,Pretende-se medir a distribuição e propriedades físicas de aerossóis biogênicos em larga escala. Perfis verticais de 150 a 4000 metros mediram a variabilidade da concentração ao longo da camada limite planetária e acima dela, visando obter a forçante radiativa de aerossóis na Amazônia em áreas impactadas por efeitos antropogênicos. Pretendemos medir o albedo de espalhamento único (ω0) e sua variabilidade espacial ao longo da bacia. Será também analisada a distribuição de tamanho de partículas de 10 a 800 nm, que com um modelo de óptico de aerossol biogênico deverá fornecer a secção de choque de espalhamento e absorção medidos. O modelo de transferência radiativa SBDART será utilizado para integrar as medidas de perfil vertical com os valores determinados em solo. Os perfis verticais realizados sobre os fotômetras solares da rede NASA/AERONET em Manaus permitirão o "fechamento" (closure) das propriedades ópticas e físicas dos aerossóis, ampliando nosso conhecimento dos parâmetros críticos para a determinação da forçante radiativa de aerossóis sobre a Amazônia. Utilizando a parametrização de Köhler determinaremos a distribuição espacial da concentração de CCN sobre a Amazônia integrando sobre as distribuições de tamanho medidas. O modelo será também aplicado a perfis verticais realizados durante o experimento SMOCC em 2002, onde instrumentação idêntica foi utilizada em mais de 50 perfis verticais na Amazônia. Este plano de trabalho visa contribuir na redução das incertezas do efeito dos aerossóis no clima, enfocando no estudo de propriedades de aerossóis naturais biogênicos da Amazônia, e é parte do Instituto Nacional de Mudanças Climáticas Globais (INMCG) recentemente aprovado e do programa FAPESP de mudanças globais (PFMCG). (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.