Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da ativação de resposta Th1/Th2 por linfócitos B-1 na paracoccidioidomicose experimental

Processo: 04/01182-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2004
Vigência (Término): 30 de abril de 2005
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Sandro Rogerio de Almeida
Beneficiário:Andrea Gil Ferreira de Arruda
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Paracoccidioidomicose   Resposta imune   Citocinas

Resumo

Paracoccidioidomocise (PCM), é uma micose sistêmica, granulomatosa, que compromete preferencialmente o tecido pulmonar. O agente causador desta micose é um fungo dimórfico térmico, conhecido como Paracoccidioides brasiliensis, cujo principal componente antigênico é a gp43. Linfócitos B são divididos em B-1a, B-1b e B-2. Estes se diferenciam por suas características fenotípicas, na qual as células B-1a expressam a molécula de superfície CD5, enquanto, as células B-1b e B-2 não as expressam. Outra característica importante é que os linfócitos B-1 expressam moléculas presentes em linfócitos B (B-220, IgM e IgD), em células T (CD5) e em macrófagos (Mac-1). Além disso, células B-1 são apresentadoras de antígenos capazes de induzir proliferação de células T CD4+, sensibilizadas pela gp43. Assim, é interessante analisarmos, o padrão de resposta (Th1/Th2) e ativação de linfócitos T "naive" in vivo por linfócitos B-1 b, pois o esclarecimento destas questões nos ajudará a entender o real papel destas células na ativação de uma resposta imune celular na PCM experimental. (AU)