Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da hiperexpressão transgênica de FAK no coração de camundongos

Processo: 08/53457-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2008
Vigência (Término): 30 de novembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Kleber Gomes Franchini
Beneficiário:Carolina Fernanda Manfredi Zambon Clemente
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/54878-3 - Patogênese da hipertrofia e insuficiência cardíacas: mecanismos ativados por estimulo mecânico, AP.TEM
Assunto(s):Cardiomegalia   Transgenia

Resumo

Doenças do coração cursam freqüentemente com hipertrofia do miocárdio. Apesar de representar um processo adaptativo fundamental a sobrecargas de trabalho, a hipertrofia do miocárdio é também um fator determinante de mau prognóstico quando decorrente de estímulos patológicos. A hipertrofia do miocárdio resulta basicamente do aumento de tamanho dos miócitos, enquanto a deterioração acompanha-se de fibrose intersticial, degeneração e morte dos miócitos cardíacos. Tanto o crescimento hipertrófico como a degeneração dos miócitos cardíacos e fibrose resultam da ativação de mecanismos de sinalização celular por estímulos mecânicos e neuro-humorais. Estudos do nosso e de outros laboratórios indicam que a quinase de adesão focal (FAK), uma tirosino-quinase que participa dos mecanismos de sinalização por integrinas tem papel importante nas respostas de miócitos cardíacos e outros tipos celulares do miocárdio a estímulos mecânicos e neuro-humorais. Dados de estudos em camundongos com depleção miocárdica de FAK produzido por knockout condicionado e por silenciamento gênico indicam que sinais mediados pela FAK são necessários para o crescimento de cardiomiócitos em resposta a estímulos hipertróficos. Por outro lado, a hiperexpressão de FAK em células ventriculares de ratos neonatos per se é suficiente para induzir a expressão de marcadores gênicos de hipertrofia. Além disso, estudos do nosso laboratório indicam que a ativação prolongada da FAK pode contribuir não apenas para a hipertrofia mas também para a deterioração progressiva do miocárdio hipertrófico. No entanto, são ainda desconhecidos os efeitos da hiperexpressão e ativação constitutiva da FAK nas câmaras cárdicas. Portanto, a presente proposta contempla a produção de um camundongo transgênico com hiperexpressão de FAK restrita aos cardiomiócitos e dirigida por promotor de α-MHC para avaliar os efeitos da FAK na estrutura e função no ventrículo esquerdo de camundongos no período pós-natal. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CLEMENTE, C. F. M. Z.; XAVIER-NETO, J.; COSTA, A. P. DALLA; CONSONNI, S. R.; ANTUNES, J. E.; ROCCO, S. A.; PEREIRA, M. B.; JUDICE, C. C.; STRAUSS, B.; JOAZEIRO, P. P.; MATOS-SOUZA, J. R.; FRANCHINI, K. G. Focal adhesion kinase governs cardiac concentric hypertrophic growth by activating the AKT and mTOR pathways. JOURNAL OF MOLECULAR AND CELLULAR CARDIOLOGY, v. 52, n. 2, SI, p. 493-501, FEB 2012. Citações Web of Science: 37.
FRANCHINI, K. G. Focal adhesion kinase - The basis of local hypertrophic signaling domains. JOURNAL OF MOLECULAR AND CELLULAR CARDIOLOGY, v. 52, n. 2, SI, p. 485-492, FEB 2012. Citações Web of Science: 29.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.