Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise de interação e toxicidade das proteínas vip3aa e Cry1Ac de Bacillus thuringiensis em populações suscetíveis e resistentes de Plutella xylostella

Processo: 08/53633-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2009
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Manoel Victor Franco Lemos
Beneficiário:Ana Maria Guidelli Thuler
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil

Resumo

Proteínas inseticidas derivadas de Bacillus thuringiensis (Bt) são os inseticidas biológicos mais amplamente utilizados. No entanto, a evolução da resistência por insetos-praga é o maior entrave para o sucesso da aplicação destes bioinseticidas benéficos no manejo integrado. Para que este processo possa ser evitado é necessário compreender o modo de ação das toxinas Bt e os mecanismos de resistência. Estudos envolvendo diferentes proteínas tóxicas de B. thuringiensis e suas interações com os receptores de membrana do epitélio intestinal de insetos-alvo tornam-se de grande importância, visto que, buscam avaliar possíveis estratégias que venham a impedir ou controlar a evolução da resistência por estas pragas às referidas toxinas. O trabalho dará ênfase à toxicidade e às análises bioquímicas do modo de ação dessas toxinas. As análises de ligação com proteínas purificadas e vesículas de membrana (BBMV - "Brush Border Membrane Vesicles"), preparadas a partir de intestinos de larvas de P. xylostella, poderão prevenir a evolução da resistência nestes insetos, além de se determinar padrões plausíveis de resistência cruzada. Assim sendo, o presente trabalho tem o objetivo de analisar a toxicidade de diferentes proteínas Cry e VIP (proteínas cristal - Cry e proteínas inseticidas vegetativas - Vips) de B. thuringiensis, frente a uma população resistente e uma suscetível de Plutella xylostella. (AU)