Busca avançada
Ano de início
Entree

Otimização da criação de Encarsia sp(Hymenoptera: Aphelinidae) para o controle de Bemisia tabaci (Hemiptera: Aleyrodidae)

Processo: 09/00255-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2009
Vigência (Término): 30 de junho de 2012
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:José Roberto Postali Parra
Beneficiário:Sandra Regina Magro
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Controle biológico   Mosca-branca

Resumo

As moscas-brancas são insetos sugadores que causam prejuízos diretos e indiretos em várias culturas comerciais em todo o mundo (Brown et al., 1995). Como danos diretos, destacam-se o amarelecimento e queda de folhas, reduzindo o vigor, o crescimento e a produção, podendo inclusive levar a planta à morte em ataques severos. Os prejuízos indiretos são relacionados à transmissão de vírus e à criação de condições para o desenvolvimento da "fumagina" que compromete os processos de fotossíntese e respiração da planta. Esse fungo que se desenvolve sobre o líquido açucarado ("honeydew") secretado pelos insetos durante sua alimentação, chega, em altas infestações, a matar a planta, especialmente se for o Biótipo B. O controle da mosca-branca é realizado principalmente por inseticidas; contudo, o uso constante dessa tática de controle pode ocasionar problemas como o desenvolvimento de populações resistentes, resíduos em alimentos e no meio ambiente, além de intoxicações ao aplicador. Assim, outras formas de manejo, como a destruição de restos das culturas que possam servir de reservatório ao inseto e a eliminação de plantas daninhas que possam servir de abrigo à praga e ao vírus (métodos culturais) podem ser eficientes desde que adotados em conjunto pelos produtores de uma mesma região. Outra alternativa para o controle desta praga é a utilização de inimigos naturais, sendo relatado que o parasitóide Encarsia formosa (Hymenoptera: Aphelinidae) é, possivelmente, o inimigo natural mais utilizado mundialmente para o controle de moscas-brancas dos gêneros Trialeurodes e Bemisia, em casas de vegetação. Assim, este projeto visa desenvolver uma técnica para criação massal do parasitóide Encarsia sp, visando ao controle da mosca-branca B. tabaci biótipo B, em casa de vegetação. As etapas a serem desenvolvidas serão: 1) Otimização da criação massal de Encarsia sp: baseada nos estudos de (i) seleção da planta hospedeira para criação da mosca-branca; (ii) número ideal de moscas-brancas por gaiola de criação; (iii) biologia de Encarsia sp em diferentes ínstares de B. tabaci biótipo B; (iv) estudo das exigências térmicas e do limiar inferior de desenvolvimento (temperatura base), bem como (v) efeito de temperaturas variáveis e da umidade relativa no desenvolvimento do parasitóide; e 2) Eficiência do parasitismo no controle da praga, baseado nos estudos de (vi) dispersão do parasitóide; (vii) do número ideal de parasitóides a ser liberado (capacidade de parasitismo); (viii) comparação de diferentes técnicas de liberação; (ix) da eficiência do controle biológico da mosca-branca, comparada ao controle convencional (químico) e (x) seletividade de Encarsia sp aos principais pesticidas utilizados em casa de vegetação).