Busca avançada
Ano de início
Entree

Interação de células endoteliais linfáticas e sanguíneas com o Mycobacterium leprae nas lesões cutâneas de hanseníase multibacilar

Processo: 07/51650-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2007
Vigência (Término): 31 de julho de 2008
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Mírian Nacagami Sotto
Beneficiário:Felipe Weisshaupt Stegun
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Imuno-histoquímica   Hanseníase multibacilar

Resumo

Na hanseniase as células endoteliais são consideradas como local importante para a multiplicação dos bacilos e sua disseminação sistêmica via a corrente sangüínea. Os trabalhos que envolvem o estudo das alterações endoteliais na hanseniase enfocam principalmente o endotélio vascular sangüíneo. Isso talvez seja devido ao fato de que é difícil evidenciar e discriminar, com segurança, as estruturas linfáticas em meio ao denso infiltrado macrofágico da derme, principalmente nas lesões de hanseniase virchowiana. Os trabalhos sobre as alterações do endotélio linfático na hanseniase são, em sua maioria, de microscopia eletrônica. As células endoteliais vasculares sangüíneas podem ser evidenciadas, através de técnicas de imuno-histoquímica, com anticorpos anti Fator VIII, CD34 e CD31 (Coindre, 2003; Histopathology 43; 1-16). Recentemente foi desenvolvido anticorpo específico para a demonstração de células endoteliais linfáticas - D2-40 (não expresso pelo endotélio vascular sangüíneo) (Fukunaga, 2005; Histopathology 46: 396-402). Com o objetivo de se avaliar e comparar o parasitismo de células endoteliais linfáticas e sangüíneas pelo M. leprae, biopsias de pele de doentes com Hanseniase multibacilar (coletadas dos arquivos do Laboratório de Dermatopatologia - D. Dermatologia FMUSP/HCFMUSP), serão submetidas à técnica imuno-histoquímica com os anticorpos D2-40 (para células endoteliais linfáticas) e CD 31 (para células endoteliais sangüíneas) associada à coloração de Faraco para bacilos álcool-ácido resistentes, concomitante (técnica de dupla-marcação). (AU)