Busca avançada
Ano de início
Entree

Possíveis divergências entre as atividades biológicas dos venenos de serpentes Bothrops Jararaca adultas e recém-nascidas

Processo: 08/00266-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2008
Vigência (Término): 30 de novembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Toxicologia
Pesquisador responsável:Marcelo Larami Santoro
Beneficiário:Thatiane Cristina Antunes
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Serpentes   Bioatividade   Ontogenia   Bothrops

Resumo

As serpentes do gênero Bothrops, em especial a Bothrops jararaca, são as maiores responsáveis pelos acidentes ofídicos causados por serpentes peçonhentas no Estado de São Paulo. Os sintomas do envenenamento causado por essa serpente incluem formação de edema, equimose, sangramentos locais e sistêmicos, e alterações de coagulação. Em casos mais graves, os pacientes podem apresentar necrose com amputação do membro afetado, choque e insuficiência renal. Porém, sabe-se que o quadro clínico gerado pela picada de B. jararaca jovem e adulta não é exatamente igual, sendo que as serpentes adultas possuem uma maior capacidade de induzir sintomas locais, como edema, bolhas e necrose - um indicativo da atividade proteolítica de seus venenos, enquanto as serpentes jovens têm uma maior capacidade de causar alterações na coagulação sangüínea. O presente estudo tem como principal objetivo comparar as atividades biológicas e a composição dos venenos de B. jararaca recém-nascidas e adultas; para isso, serão realizados testes para comparar as principais atividades enzimáticas e biológicas dos venenos, tais como ensaios de atividade proteolítica, coagulante, hemorrágica, miotóxica e edematogênica, além da realização de dosagens de proteínas dos venenos e análise de seus perfis eletroforéticos. Espera-se, dessa forma, atingir uma maior compreensão sobre o modo de atuação desses e outros tipos de veneno.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.