Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da semente de girassol como fonte de ácido linoléico na sobrevivência embrionária em vacas de corte

Processo: 07/04539-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2007
Vigência (Término): 31 de outubro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Claudia Maria Bertan Membrive
Beneficiário:Mariana Soares Peres
Instituição-sede: Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental de Dracena. Dracena , SP, Brasil
Assunto(s):Ácido linoleico   Luteólise

Resumo

Em fêmeas bovinas a síntese de prostaglandina F2a(PGF2a) endometrial, entre os dias 15 e 19 do ciclo estral, determina a regressão funcional e estrutural do corpo lúteo. Durante tal período, reconhecido como crítico para o estabelecimento da prenhez, o concepto (embrião e membranas associadas) deve produzir competentemente moléculas que interagem com o endométrio inibindo a síntese de PGF2a. Reportou-se que a incapacidade do concepto em enviar sinais anti-luteolíticos apropriados ao endométrio determina a mortalidade embrionária em mais de 30% das fêmeas acasaladas, condição que caracteriza representativas perdas econômicas na pecuária. Estudos relatam à possibilidade de controlar a capacidade de síntese de PGF2a; no endométrio através de manipulações nos ingredientes da dieta. A administração de compostos ricos em ácido linoléico propicia no útero a seleção de um diferenciado pool de lipídeos, evento que limita sua capacidade luteolítica. Também se reportou que o ácido linoléico apresenta ação anti-luteolítica por inibir a enzima cicloxigenase-2, fundamental para a síntese de PGF2a. Dentre as fontes de ácido linoléico possíveis de serem utilizadas na alimentação de bovinos inclui-se, com uma alternativa economicamente viável, a semente de girassol (Helianthus annuus L.). Assim, o presente estudo tem como objetivo avaliar o efeito da semente de girassol como estratégia anti-luteolítica para reduzir a mortalidade embrionária entre os dias 15 e 19 da gestação. Para tanto, serão utilizadas 250 fêmeas Nelore, pluríparas, no período pós-parto de 40 a 80 dias. As fêmeas serão submetidas a um protocolo hormonal para a sincronização dos estros e da ovulação e serão inseminadas artificialmente em tempo fixo. Após a inseminação, as fêmeas serão divididas aleatoriamente em dois grupos para receberem um dos seguintes tratamentos: suplemento alimentar contendo semente de girassol (Grupo I; n=125) ou um suplemento igualmente balanceado em energia e proteína, porém não acrescido de semente de girassol (Grupo II; n=125). As fêmeas receberão o suplemento diariamente até o 22º dia de gestação. O diagnóstico de prenhez será realizado por ultra-sonografia no 30º dia de gestação. A hipótese do presente estudo é que as fêmeas suplementadas com semente de girassol apresentam menor mortalidade embrionária, entre o 15 a 19º dias de gestação, portanto maior taxa de concepção no 30º dia de gestação.