Busca avançada
Ano de início
Entree

Taxa de elongação dos dados medidos pelo Observatório Pierre Auger

Processo: 10/05585-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2010
Vigência (Término): 30 de novembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física das Partículas Elementares e Campos
Pesquisador responsável:Luiz Vitor de Souza Filho
Beneficiário:Raul Ribeiro Prado
Instituição-sede: Instituto de Física de São Carlos (IFSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/04259-0 - Raios cósmicos de altas energias, AP.JP
Assunto(s):Análise de dados   Raios cósmicos

Resumo

O Observatório Pierre Auger conta com vinte e quatro telescópios de fluorescência que medem o desenvolvimento longitudinal dos chuveiros atmosféricos extensos e podem determinar a profundidade atmosférica (Xmax) na qual a cascata alcança o maior número de partículas. A evuloção da profundidade média com a energia dos chuveiros é chamada de taxa de elongação. Como Xmax está relacionado com o tipo da partícula primária, a taxa de elongação oferere a tendência de evolução da composição primária com a energia. O principal problema desta técnica é o de garantir que o telescópio tenha eficiência equivalente para diferentes tipos de partículas primárias, o que é normalmente conseguido através do uso de cortes nos dados medidos. Neste projeto, estudaremos técnicas alternativas de determinação da taxa de elongação que permitam minimizar o descarte de eventos com cortes anti-viés.