Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da privação do sono em saguis (Callithrix jacchus) no padrão eletroencefalográfico e na liberação basal de serotonina, noradrenalina dopamina no córtex pré-frontal, hipocampo dorsal, amígdala e núcleo accumbens

Processo: 09/05619-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2009
Vigência (Término): 30 de abril de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Pesquisador responsável:Luiz Eugenio Araujo de Moraes Mello
Beneficiário:Carlos Eduardo Antunes de Macedo
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:98/14303-3 - Center for Sleep Studies, AP.CEPID
Assunto(s):Neurofisiologia   Microdiálise   Privação de sono

Resumo

A privação do sono, investigada em modelos experimentais com roedores, primatas e humanos, parece influenciar diversos parâmetros biológicos e comportamentais. Assim, após a privação do sono parece ocorrer várias alterações metabólicas, hormonais e imunológicas bem como alterações no processamento cognitivo e emocional, como na memória, aprendizagem e atenção. O sono, que é convencionalmente distribuído em dois estágios principais: dessincronizado (REM, Rapid Eye Movement) e sincronizado (NREM, Non-Rapid Eye Movements), envolve a participação de várias estruturas encefálicas. Muitos estudos mostram que estruturas límbicas, como o hipocampo, amígdala, núcleo accumbens e o córtex pré-frontal, não são per se centros regulatórios primários do sono REM e/ou NREM; contudo, essas estruturas parecem atuar como moduladores importantes do sono e participam diretamente na regulação da memória e aprendizagem. Alguns estudos tem investigado possíveis modificações na liberação extracelular de vários neurotransmissores associados ao sono e/ou a sua privação. Em geral, os resultados encontrados na literatura sugerem que, em ratos, na privação do sono ou no período de recuperação parece ocorrer um aumento na liberação extracelular de serotonina no hipocampo e de dopamina no córtex pré-frontal medial e no núcleo accumbens. O estudo sobre a neurobiologia do sono em primatas oferece, ao contrário do modelo animal com roedores, maiores semelhanças ao sono em humanos, como um padrão de sono monofásico. O presente projeto busca investigar possíveis efeitos da privação do sono e/ou da privação do sono REM em sagüis (Callithrix jacchus) sobre: i) o padrão eletrocorticográfico no período basal e posterior a privação do sono; e ii) a liberação extracelular basal, após a privação do sono, de dopamina, serotonina e noradrenalina no córtex pré-frontal medial, no complexo basolateral da amígdala, no núcleo accumbens e hipocampo dorsal. Os resultados desse estudo podem contribuir para o desenvolvimento de um modelo animal para o estudo da privação do sono em primata. Por outro lado, o estudo neuroquímico pode trazer contribuições inéditas de possíveis efeitos da privação do sono em sagüis sobre a liberação extracelular basal de monoaminas em estruturas encefálicas cruciais no processamento cognitivo e emocional. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.