Busca avançada
Ano de início
Entree

Delimitação de espécies no complexo 'sophronitis coccinea' (Orchidaceae) baseada em marcadores ISSR

Processo: 08/09171-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2008
Vigência (Término): 30 de setembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Taxonomia Vegetal
Pesquisador responsável:Samantha Koehler
Beneficiário:Marilia Martins Rodrigues de Barros Neto
Instituição-sede: Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/55121-3 - Sistemática molecular, padrões de diversificação e conservação de orquídeas brasileiras, AP.JP
Assunto(s):Orchidaceae   Filogenia molecular   Filogenia

Resumo

O complexo 'Sophronitis coccinea' constitui um grupo monofilético que inclui 7 espécies atualmente reconhecidas. As espécies tradicionalmente reconhecidas são diferenciadas pela coloração, tamanho e formato das flores e pela forma e disposição de pseudobulbos e folhas. Além da morfologia externa, a atual delimitação de espécies sugere uma história de diversificação que engloba três formações geológicas do sul-sudeste do Brasil: a Serra do Mar, a Serra da Mantiqueira e a Serra do Espinhaço. Entretanto com o aumento de coletas nas últimas décadas, foi relatada a existência de formas intermediárias entre as espécies tradicionalmente aceitas. Atualmente, a grande variação encontrada em caracteres diagnósticos vegetativos e florais é evidente no grande número de categorias infraespecíficas propostas para este grupo. Este estudo propõe-se a reavaliar a delimitação de espécies no complexo 'Sophronitis coccinea' e compreender sua história de diversificação no sul-sudeste do Brasil. Para tal são propostos: (1) a inferência de padrões de diversidade genética através de marcadores ISSR; (2) a descrição da variação de caracteres morfológicos diagnósticos ao longo da distribuição geográfica do grupo de acordo com materiais em cultivo e herborizados; (3) a revisão da delimitação de espécies à luz dos resultados obtidos. Serão realizadas coletas nas regiões sul e sudeste do Brasil para amostragem de populações com amostragem de 15-30 indivíduos/população. Em cada localidade serão coletadas folhas em gel CTAB para extração de DNA e amostras de pseudobuldos, folhas e flores para as análises morfométricas. Material herborizado proveniente dos principais herbários brasileiros serão também analisados para coleta de dados morfológicos e de distribuição geográfica. As análises moleculares serão baseadas nos iniciadores ISSR já selecionados para o grupo em questão. A genotipagem das amostras será realizada em gel de agarose a 2% e com análise de bandas com o programa GeneTools (Syngene). A partir da matriz binária resultante serão realizadas análises multivariadas e de agrupamento; estimativas de distância genética e testes de correlação entre marcadores moleculares, morfológicos e distância geográfica.