Busca avançada
Ano de início
Entree

Polimorfismo da haptoglobina e complicacoes cardiovasculares no diabetes mellitus.

Processo: 06/05019-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2007
Vigência (Término): 31 de março de 2008
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Maria de Fatima Sonati
Beneficiário:Paula da Cunha Pinho
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Diabetes mellitus   População do Brasil   Patologia clínica   Polimorfismo genético

Resumo

A haptoglobina (Hp) é uma glicoproteína sérica cuja função básica é se ligar à hemoglobina (Hb) livre no plasma, prevenindo assim os danos oxidativos resultantes de sua permanência nos vasos. A Hp é caracterizada por um polimorfismo genético devido a existência de dois alelos distintos (HP1 e HP2) codificando a cadeia α desta proteína. Três fenótipos tem assim sido descritos: Hp1-1, Hp2-1 e Hp2-2. Como as características bioquímicas e biofísicas dos subtipos são diferenciadas, alterações funcionais entre os fenótipos estão associadas com a prevalência e evolução clínica de diversas doenças incluindo neoplasias, aterosclerose e desordens auto-imunes. Estes efeitos são explicados pela modulação fenótipo-dependente do stress oxidativo e síntese de prostaglandina. Tem sido proposto que a geração de espécies reativas de oxigênio (stress oxidativo) pode desempenhar um importante papel na etiologia das complicações vasculares do diabetes, sugerindo que a diferente susceptibilidade de pacientes diabéticos a complicações macrovasculares seja uma função do status antioxidante endógeno. Não há, de nosso conhecimento, qualquer estudo feito na população brasileira. Assim, a proposta do presente projeto é comparar a distribuição dos genótipos de Hp, coletadas e genotipadas em estudo anterior no Hospital das Clínicas - UNICAMP, em pacientes diabéticos do tipo 2, com mais de 10 anos de doença, com e sem doença cardiovascular, com o intuito de avaliar se o polimorfismo da Hp se correlaciona com a ocorrência de incidentes cardiovasculares isquêmicos em portadores dessa importante doença metabólica.