Busca avançada
Ano de início
Entree

A invenção da tribo na África austral: o caso da obra de Henri Junod

Processo: 02/12667-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2003
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2003
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Antropologia - Teoria Antropológica
Pesquisador responsável:Omar Ribeiro Thomaz
Beneficiário:Paulo Rodrigues Gajanigo
Instituição-sede: Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:00/01049-3 - Contextos cosmopolitas: a sociedade colonial e a invenção de Moçambique, AP.JP
Assunto(s):Etnografia   Povos, tribos e culturas   Missionários   África Meridional   Moçambique

Resumo

Os recentes trabalhos antropológicos realizados na África Austral, em particular África do Sul e Zimbábue, têm enfatizado o lugar da etnografia clássica africanista na criação e fixação de determinadas classificações hoje operativas na região. Procura-se, assim, compreender a forma com a diversidade cultural foi percebida e construída por etnógrafos, missionários e administradores a partir de noções como "tribo", "língua", "religião" ou "etnia". O espaço moçambicano não escaparia a tal processo, particularmente a região sul do país, estudada ao longo de anos, entre finais do século XIX e início do século XX, pelo etnógrafo e missionário suíço Henri Junod, responsável pela elaboração de uma das mais importantes monografias africanistas - "Usos e Costumes dos Banto". Tendo como objeto central esta monografia de Junod (sem deixar de lado outros textos escritos por este autor) pretendemos analisar detalhadamente os significados adquiridos pelas categorias classificatórias da diversidade entre os povos da região - e no interior dos próprios tsonga - particularmente as noções de "etnia" e "tribo". Uma análise detida do texto de Henri Junod exigirá, com toda a certeza, um trabalho situado ao mesmo tempo no campo da teoria antropológica e na história da disciplina que este projeto de iniciação científica tem como propósito apenas iniciar. (AU)