Busca avançada
Ano de início
Entree

O pensionato artístico (1912-1931) na História Cultural paulistana

Processo: 03/05493-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2003
Vigência (Término): 31 de agosto de 2005
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Marta Rossetti Batista
Beneficiário:Marcia Mascarenhas de Rezende Camargos
Instituição-sede: Instituto de Estudos Brasileiros (IEB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Política cultural

Resumo

Regulamentado em 1912, o Pensionato Artístico de São Paulo concedia bolsas no exterior a estudantes de artes plásticas e música. Além de aperfeiçoar talentos já formados, pretendia moldar o artista ainda jovem dentro dos preceitos acadêmicos vigentes, mantendo assim o controle sobre a produção artística brasileira. Comandado pelo deputado José de Freitas Valle, manteve na Europa nomes que se consagrariam no panorama da cultura brasileira, como Anita Malfatti, Brecheret e Francisco Mignone. Nas artes plásticas, foi responsável pelas bases da Pinacoteca do Estado, cujo acervo inicial formou-se graças à produção dos bolsistas. Para estabelecer a parcela de contribuição do Pensionato na conformação do imaginário e do gosto estético daquele período decisivo da constituição do campo intelectual paulistano, tomaremos como ponto de partida o corpus documental inédito do Fundo Freitas Valle, sob minha guarda. Ampliado por uma vasta pesquisa em arquivos públicos e privados, embasará a análise crítica papel do Pensionato no processo cultural paulista, bem como a discussão sobre a política de mecenato público da Primeira República. Desse trabalho ainda resultará uma gama diversificada de documentos que, junto com um detalhado estudo sobre o Pensionato, será disponibilizada, em rede, para os interessados no meio acadêmico ou fora dele, através do IEB. (AU)