Busca avançada
Ano de início
Entree

Símbolo e alegoria: a retomada do pensamento mitopoético no primeiro romantismo alemão

Processo: 06/06681-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2007
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2007
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras - Teoria Literária
Pesquisador responsável:Wilma Patricia Marzari Dinardo Maas
Beneficiário:Mirella Guidotti
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Filosofia   Literatura alemã   Romantismo   Poesia   Símbolo   Mitologia   Mitos

Resumo

Este projeto de iniciação científica buscará abordar a retomada do pensamento mitopoético pelos expoentes do Primeiro Romantismo alemão. Para tal intento, delimitaremos dois momentos na obra do filósofo F. W. J. Schelling, cujos Sistema do Idealismo Transcendental e a Filosofia da Identidade (onde é incluída a Filosofia da Arte), podem ser lidos como uma ressonância do grupo romântico de Jena, permitindo assim, uma abordagem pautada numa teoria sistematizada sobre o mito. A estética de Schelling revela uma singular poética filosófica do mito: a partir da tríade esquematismo /alegoria/ símbolo, o referido autor concebe que a mitologia é a matéria de toda arte e, dado que a arte deva representar o absoluto, só o pode fazer de maneira simbólica. Destarte, a linguagem originária, mitopoética, diz o que não poderia ser dito de outra maneira. Ao contrário da verdade científica, que pretende apreender a realidade e representá-la num conceito fechado, a própria ideia de verdade para os românticos fica em suspenso: e por esta razão mesma apenas acessível de modo simbólico. Schelling portanto, pretende dirigir uma crítica à negatividade kantiana, partindo assim de uma “metafísica do trânsito” para constituir a arte, e não mais a lógica, como o organon da filosofia. É neste sentido que o recurso à mitologia será abordado: na medida em que esta diz intuitivamente a origem, torna-se um Leitmotiv para os românticos. Portanto, a discussão acerca dos conceitos-chave, símbolo e alegoria, fornecerão subsídios teóricos para que possamos, com maior clareza, abordarmos a retomada do pensamento mito-poético, pois o entendimento deste perpassa a compreensão daqueles conceitos.