Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da nicotina sobre as propriedades biológicas das células do ligamento periodontal de humanos

Processo: 08/09192-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2009
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Karina Gonzales Silvério Ruiz
Beneficiário:Mayra Laino Albiero
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Diferenciação celular   Reparação periodontal   Cultura de células   Ligamento periodontal   Nicotina

Resumo

A regeneração dos tecidos periodontais de suporte perdidos em decorrência da doença periodontal inflamatória depende da migração e proliferação das células do ligamento periodontal remanescente, acompanhada pela subseqüente diferenciação em osteoblastos, cementoblastos e fibroblastos, e síntese de componentes da matriz extracelular. Além disso, alguns estudos têm mostrado que as células do ligamento periodontal possuem propriedades de células osteoblásticas/cementoblásticas as quais incluem, capacidade de formar nódulos minerais in vitro, associada ao aumento da expressão de fosfatase alcalina. Quando cultivadas in vitro, na presença de diferentes concentrações de nicotina, células do ligamento periodontal apresentaram alterações significativas em relação às suas propriedades biológicas tais como, migração, proliferação e adesão, além de sofrerem redução na atividade da fosfatase alcalina. Com base nessas observações, estabelecemos a hipótese de que a nicotina altera a expressão de genes relacionados ao processo de diferenciação cementoblástica/ osteoblástica das células do ligamento periodontal, retardando assim, a formação de nódulos minerais. Desta maneira, o presente estudo terá como objetivos avaliar o efeito da nicotina na: 1) proliferação e viabilidade das células do ligamento periodontal de humanos, 2) expressão de genes relacionados ao processo de diferenciação cementoblástica/osteoblástica e 3) formação de nódulos minerais. Para isso, células do ligamento periodontal de humanos serão incubadas na presença de nicotina, e avaliadas quanto a sua proliferação e viabilidade celular pela técnica de azul de tripano, expressão dos genes relacionados ao processo de diferenciação cementoblástico/osteoblástico (fosfatase alcalina, silaoproteína óssea, colágeno tipo I, osteocalcina, Runx-2, CP-23 e CAP) por meio da técnica do PCR quantitativo (PCRq) e formação de nódulos minerais in vitro pelo ensaio de von Kossa e Alizarina "red".