Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação de duplicações e deleções de exons do gene TP53 na Síndrome de Li-Fraumeni e Li-Fraumeni like

Processo: 09/02682-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2009
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Ana Cristina Victorino Krepischi
Beneficiário:Marina Bitancourt Sapienza
Instituição-sede: Hospital A C Camargo. Fundação Antonio Prudente (FAP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Síndrome de Li-Fraumeni   Genes supressores de tumor   Proteína supressora de tumor p53   Reação em cadeia da polimerase multiplex

Resumo

A síndrome de Li Fraumeni (SLF) é uma síndrome hereditária complexa de predisposição ao câncer, que apresenta herança do tipo autossômica dominante e de alta penetrância. A SLF e sua variante Li-Fraumeni-like (LFL) estão associadas a mutações germinativas no gene supressor de tumor TP53 (tumor protein p53), predispondo a alto risco para múltiplos tumores em idade jovem. Até o presente, cerca de 420 famílias com mutações germinativas em TP53 foram descritas no mundo inteiro (Banco de dados International Agency for Research on Cancer - IARC). A grande maioria das alterações detectadas (cerca de 90%) são mutações de ponto, identificadas pelo seqüenciamento direto dos exons do gene. A partir de dados na literatura estima-se que cerca de 10% das mutações identificadas nas famílias SLF e LFL são alterações no número de cópias de exons do gene TP53 (em geral, deleções). O espectro de mutações do gene TP53 associadas às SLF e LFL ainda não é completamente conhecido na população brasileira. Além disso, em um terço das famílias com critérios clínicos para o diagnóstico de SLF ou LFL não são detectadas mutações no gene TP53. Baseado nessas considerações, este estudo propõe a investigação do gene TP53 quanto à presença de deleções e duplicações intragênicas, um tipo de alteração de seqüência que não pode ser identificado pela técnica de seqüenciamento. Essa investigação será feita pela técnica de Multiplex Ligation-dependent Probe Amplifcation (MLPA), que permite a análise de ganhos e perdas de até 40 seqüências genômicas diferentes, simultaneamente. No Hospital do Câncer A. C. Camargo, um grupo de indivíduos com SLF ou LFL foi estudado por seqüenciamento de exons quanto à presença de mutações e esta Instituição já possui o parque de equipamentos necessário para a implementação da técnica de MLPA. Nosso principal objetivo é expandir o conhecimento acerca do grupo de pacientes com SLF/LFL que não tem mutação na seqüência no gene TP53, distintiva dessa síndrome. Este estudo também proporcionará a identificação de indivíduos afetados por câncer hereditário e seus familiares em risco, o que é fundamental para sua inclusão em programas de redução de risco e prevenção. Este projeto está incluído em uma das linhas de pesquisa do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Oncogenômica (INCITO), em fase inicial no Hospital do Câncer A. C. Camargo (Instituição-sede). (AU)