Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção e avaliação da imunogenicidade e potencial protetor de VLPs (vírus-like particles) de papilomavírus bovino e humano a partir de diferentes sistemas de expressão em células eucariotas

Processo: 01/02813-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2002
Vigência (Término): 09 de maio de 2004
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Pesquisador responsável:Willy Beçak
Beneficiário:Antonio Carlos de Freitas
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Latência viral

Resumo

Devido ao impacto dos processos carcinogênicos na saúde publica, os mecanismos de oncogênese são importantes alvos de estudo. Vários são os fatores etiológicos envolvidos com o processo oncogênico. Dentre eles, os vírus assumem um papel de grande importância. Os vírus da papilomatose bovina (BPV) têm sido verificados como de importância como modelo experimental. Os BPVs tipos 1, 2 e 4 são discutidos na literatura, devido a sua característica oncogênica. Dados encontrados na literatura sugerem que células do sangue periférico participem da patogênese da infecção e/ou sejam sítios de latência do vírus do papiloma. Entretanto, há ainda muitas controvérsias com respeito à presença do genoma viral de BPV em células do sangue periférico, não existindo uma perfeita identificação do tipo celular que eventualmente abrigue o genoma viral no sangue periférico, bem como do estado físico-funcional do genoma viral nesta célula do sangue e da função desta célula no desenvolvimento da patologia. A compreensão dos mecanismos relacionados à infecção celular contribuirá para a discussão de procedimentos envolvidos em profilaxia e/ou terapêutica dos processos decorrentes da ação viral. Levando-se em conta os dados apresentados anteriormente os objetivos deste projeto são: 1) Verificar como se encontra o genoma do BPV em diferentes tipos de lesões papilomatosas de bovinos; 2) Verificar a eventual presença de BPV em outros órgãos ou tecidos; 3) Analisar a presença do BPV em sangue periférico de bovinos, determinando: i) se o vírus está presente intra ou extracelular; ii) qual a célula que o abriga o genoma viral; iii) em que estado físico-funcional se encontra o genoma viral; 4) Discutir qual o papel da eventual célula do sangue periférico que venha a abrigar o BPV na patogênese da doença. Para atingir estes objetivos o material genético das amostras será analisado por PCR e de acordo com a metodologia Lehn et al (1988) e Campo et. al (1994), adaptada. (AU)