Busca avançada
Ano de início
Entree

Biologia reprodutiva de anuros em uma área antrópica de Mata Atlântica, Jundiaí, SP

Processo: 07/53915-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2007
Vigência (Término): 30 de setembro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia
Pesquisador responsável:Cynthia Peralta de Almeida Prado
Beneficiário:Ana Carolina Dalla Vecchia
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Anura   História natural   Comportamento reprodutivo animal   Mata Atlântica

Resumo

Estudos sobre comunidades de anfíbios anuros têm demonstrado diversos níveis de segregação reprodutiva entre as diferentes espécies de uma mesma comunidade. Alguns mecanismos relacionados com a estrutura física do canto permitem a coexistência de anuros agregados em um período reprodutivo em um mesmo hábitat. A partilha espacial inclui a exploração de uma grande diversidade de microambientes. A partilha temporal relaciona-se à ocorrência das espécies ao longo do ano de acordo com as condições ambientais: a época reprodutiva de cada espécie pode depender, por exemplo, da temperatura do ambiente e da presença de ambientes aquáticos temporários. Este trabalho tem como objetivo estudar o comportamento reprodutivo de diferentes espécies de anuros em uma área antrópica de Mata Atlântica, localizada no município de Jundiaí, SP, de março de 2007 a dezembro de 2008. Serão abordados aspectos como a distribuição espacial e temporal, ocupação de microambientes pelas diferentes espécies, comportamentos de corte e territorialidade e modos reprodutivos. Alguns métodos envolverão registro fotográfico e sonográfico. As vocalizações das espécies serão gravadas e no momento das gravações serão registrados o horário, a temperatura do ar e da água, bem como o contexto comportamental. O modo reprodutivo de cada espécie será definido com base em suas características. Os indivíduos, gravações, desovas e girinos serão depositados na coleção de anfíbios CFBH do Departamento de Zoologia do Instituto de Biociências, UNESP, Rio Claro, SP. (AU)