Busca avançada
Ano de início
Entree

Mudança em psicoterapias breves: características de personalidade, conflito interpessoal e estratégia terapêutica

Processo: 05/50715-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2005
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2006
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Tratamento e Prevenção Psicológica
Pesquisador responsável:Elisa Medici Pizão Yoshida
Beneficiário:Elisa Frederich Penteado
Instituição-sede: Faculdade de Psicologia. Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-CAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Depressão   Estratégias terapêuticas   Mecanismos de defesa

Resumo

Avaliar alterações no nível de depressão, maturidade defensiva, sintomas psicopatológicos, grau de alexitimia e neuroticismo, de pacientes de PBs, com terapeutas experientes. Serão ainda exploradas as relações destas variáveis com o conflito que configura o foco e a estratégia terapêutica adotada. A pesquisa seguirá delineamento de análise intensiva de processos terapêuticos, aplicada a Estudos de Caso Único. Amostra: pacientes da Clínica Psicológica da PUC-Campinas, instrumentos: Inventário de Depressão Beck (BDI), Escala de Avaliação dos Mecanismos de Defesa (DMRSs), Escala de Avaliação de Sintomas-40 (EAS-40), Toronto Alexithymia Scale (TAS) e Escala Fatorial de Ajustamento Emocional/Neuroticismo - EFN, na fase inicial, medial e final dos atendimentos. Psicoterapeutas: membros do grupo de pesquisa, "Psicoterapia Breve Psicodinâmica: avaliação de mudança e instrumentos de medida", incluindo a pesquisadora. Os escores dos instrumentos serão interpretados quantitativa e qualitativamente através de relações entre eles e o foco, assim como com o tipo de estratégia terapêutica. O primeiro será avaliado com o método do Tema Central de Relacionamento Conflituoso (CCRT), e a estratégia de intervenção, segundo as modalidades: suportiva ou expressiva. Além das análises individuais de cada processo, espera-se traçar um perfil geral integrando todos os casos e contribuir para a construção de conhecimento empiricamente baseado, sobre os limites das PBs em clínicas comunitárias. (AU)