Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo dos efeitos da privação de sono dessincronizado sobre as crises epilépticas de animais com epilepsia de ausência

Processo: 07/59724-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2008
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Angela Cristina Do Valle
Beneficiário:Eloisa Martins Vicente
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Sono   Modelo experimental   Privação de sono   Eletrofisiologia

Resumo

As relações entre o sono e a epilepsia demonstram a delicada associação entre a fisiologia e a disfunção neural. O sono afeta a distribuição e a freqüência das descargas epileptógenas em humanos (Kumar, 2001; Viteri, 2007) e precipita a ocorrência de crises epilépticas em modelos animais (Van Luijtelaar, 2007). As descargas epilépticas, por outro lado, alteram a regulação e provocam a fragmentação do sono em humanos e animais (De Almeida, 2003; Vignatelli, 2006; Vataev, 2006; Ryvlin, 2006; Foldvary-Schaefer, 2006; Malow, 2005). Apesar da riqueza de informações que emergem dos estudos clínicos, estes não nos permitem uma análise profunda da fisiopatologia e/ou da dinâmica da interação ciclo vigília-sono e epilepsia. Os modelos experimentais têm se mostrado um potente instrumento para a compreensão dos substratos neurais subjacentes à vários tipos de patologias. Os excelentes resultados que se vêm obtendo com os modelos animais de epilepsia têm contribuído muito para a compreensão dessa patologia que por sua vez têm contribuído para o desenvolvimento de tratamentos alternativos eficazes que afastam cada vez mais os portadores de epilepsia de intervenções cirúrgicas (Quigg, 1998; Pitkänem, 2007; Bertram, 2007; Van Luijtelaar, 2006). Poucos aspectos experimentais são conhecidos na relação entre epilepsia de ausência e privação de sono. Drinkenburg (1995) relatou em seu experimento de privação de sono paradoxal nos ratos da cepa WAG/Rjj um aumento de espículas-onda durante as primeiras horas de privação, enquanto que após o término desta houve uma diminuição nas descargas epileptógenas devido ao rebote de sono dessincronizado. Considerando as características do modelo de epilepsia de ausência (linhagem de ratos Wistar portadores de crises de ausência, ora sob intenso estudo no Laboratório de Neurociências - FMUSP), propomo-nos neste projeto a estudar a influência da privação de sono dessincronizado sobre os eventos epileptógenos (complexos espícula-ondas) e sobre as fases do ciclo vigília-sono desses animais (Ratos FMUSP). (AU)