Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do potencial antimicrobiano "in vitro" do extrato etanólico da própolis sobre os patógenos bucais

Processo: 99/12008-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2000
Vigência (Término): 30 de setembro de 2001
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontologia Social e Preventiva
Pesquisador responsável:Pedro Luiz Rosalen
Beneficiário:Ramiro Mendonça Murata
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Doenças periodontais   Própolis   CIM

Resumo

Atualmente está bem estabelecido que cárie dental e doença periodontal são doenças infecciosas associadas a bactérias patogênicas da placa dental. Esses microrganismos são os responsáveis pela produção de ácidos e produtos citotóxicos que, respectivamente, levam a desmineralização de esmalte dental e inflamação gengival com posterior destruição dos tecidos de suporte dos dentes. Assim, o uso de agentes antimicrobianos eficientes contra microrganismos odonto e periodontopatogênicos é um importante meio de controle destas doenças bucais. A própolis, uma resina coletada de diversas partes da planta e de seus exsudatos por abelhas da espécie Apis mellifera, se destaca entre os produtos naturais devido as suas propriedades antimicrobianas, antiinflamatórias e antitumoraís. Neste estudo serão avaliados extratos etanólicos da própolis (EEP), pré-selecionadas quanto a composição química, provenientes de regiões Nordeste, Centro-Oeste, Sul e Sudeste do país e analisadas quanto as suas propriedades antimicrobianas através da determinação do halo de inibição, da concentração inibitória mínima (CIM) e concentração bactericida mínima (CBM) em alguns microrganismos bucais envolvidos no processo da cárie dental e doença periodontal. (AU)