Busca avançada
Ano de início
Entree

Conflito e reconhecimento: uma nova forma a teoria crítica

Processo: 07/50200-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2007
Vigência (Término): 31 de julho de 2008
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia
Pesquisador responsável:Clelia Aparecida Martins
Beneficiário:Herbert Barucci Ravagnani
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Marília. Marília , SP, Brasil
Assunto(s):Teoria do reconhecimento   Subjetividade   Conflito social   Moral

Resumo

A categoria "reconhecimento social" é uma herança da filosofia hegeliana, segundo a qual há uma necessidade de supor-se um certo contexto normativo originário e preexistente à toda prática social e política, ou seja, uma concepção dialógica da identidade social e cultural; essa categoria, juntamente com a de conflito social, ressurge no centro de perspectivas teóricas como a de Charles Taylor e Axel Honneth para melhor refletir sobre as contrariedades da configuração política das últimas décadas. Contrariedades que podem ser remetidas ás especificidades de lutas contemporâneos que, um tanto quanto libertas dos conflitos de classe, se manifestam hoje como lutas por reconhecimento de diferenças culturais, de orientação sexual, de gênero ou de raça. O projeto diz respeito a uma análise da categoria "reconhecimento social" em conjunto com a de "conflito" na obra de Axel Honneth. Por meio do estudo dessas categorias, procura-se avaliar até que ponto a filosofia hegeliana está presente no pensamento de Honneth e até onde ele também a supera e consegue rumar para um modelo teórico que o capacita, num diálogo com Marx, Sartre, Mead e Habermas, a interpretar que a intersubjetividade (comunicativa) não nega o sujeito, mas permite concebê-lo como o ser coletivo que é, que se constrói e emancipa num processo de luta e interação. (AU)