Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise dos discursos da engenharia nos relatórios da Companhia Estradas de Ferro Noroeste do Brasil (1910-1971)

Processo: 07/59113-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2008
Vigência (Término): 30 de novembro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História
Pesquisador responsável:Eduardo Romero de Oliveira
Beneficiário:Fernanda Aparecida Henrique da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL-ASSIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Assis. Assis , SP, Brasil
Assunto(s):Ferrovias   Engenheiros   História das instituições

Resumo

Durante o séc. XIX ciência e civilização eram as palavras de ordem; incorporar a imagem de progresso e modernidade era o desafio da nascente República Entre a deposição de D, Pedro II e a tomada do governo pelos republicanos, o Brasil sofre diversas transformações: abolição da escravidão, imigração em massa, criação de novas instituições (ex: Museu Paulista) e construção da primeira ferrovia; símbolo de progresso. Em meados do séc. XIX com o alastramento das linhas férreas, causado pela cafeicultura, inicia-se a construção da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, interligando os estados de São Paulo e Mato Grosso. Do lado matogrossense da linha, o pequeno povoado de Três Lagoas, é atingido pelos trilhos e a exemplo de muitas cidades, se desenvolve. Ocorre a urbanização e um tipo peculiar de arquitetura se desenvolve, a arquitetura de ferro. Partindo do pressuposto de que a prática discursiva representa e reproduz as identidades e as relações sociais, os sistemas de conhecimento e de crenças, sendo em si uma prática social; bem como a relação dessas práticas com saberes eruditos (cartografia, engenharia) e técnicos (pilotagem, construção de edificações urbanas, abertura de linha férreas) enquanto práticas construtivas da sociedade contemporânea, em nosso trabalho temos o intuito de verificar qual o discurso dos engenheiros nos relatórios da Companhia Estradas de Ferro Noroeste do Brasil, nossa fonte principal, referentes à construção da ferrovia na cidade de Três Lagoas e nos periódicos Jornal do Commércio e O Estado de S. Paulo. Também verificaremos quais os elementos políticos e sociais presentes nesses discursos, atentando para uma compreensão da sociedade o período, além das ideologias e a posição dos enunciadores (engenheiros) na sociedade. Para efeito de comparação serão estudados os discursos por parte do governo, suas principais propostas e meios de veiculação; somando-se aos motivos que deram impulso à construção da ferrovia. (AU)