Busca avançada
Ano de início
Entree

Validação etológica e farmacológica de um modelo experimental de pânico e ansiedade no confronto defensivo entre roedores (Mus Musculus) e serpentes Constrictoras (Epicrates cenchria assisi) em um labirinto complexo

Processo: 08/03402-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2008
Vigência (Término): 31 de agosto de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Norberto Cysne Coimbra
Beneficiário:Luana Iacovelo Bolognesi
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Ansiedade   GABAérgicos   Pânico   Medo   Comportamento agressivo

Resumo

Existe um grande interesse científico nas pesquisas comportamentais para a busca das bases neuroanatômicas, neurofisiológicas e psicofarmacológicas que têm sido associadas ao medo e ao pânico. Muitos estudos têm implicado o teto mesencefálico como responsável pelo controle de respostas defensivas elaboradas durante situações de perigo iminente. O comportamento defensivo evocado, em paradigmas baseados em confronto entre presa e predador tem sido extensivamente estudado, como um método experimental não invasivo que pode ser interessante para analisarmos a função do sistema límbico como um todo. Utilizando paradigmas em que o estado de ansiedade e medo intenso têm sido evocados em animais de laboratório, a pesquisa de novas drogas ansiolíticas e antipânicas tem avançado significativamente. O objetivo do presente trabalho é estudar um novo modelo baseado no confronto entre roedores e serpentes, para o estudo do comportamento defensivo, induzido pela ansiedade e medo, em um labirinto complexo, que consiste em uma arena na qual se abre em galerias, formando o labirinto propriamente dito, em que presas e predadores podem interagir em livre movimentação. O comportamento defensivo será estudado em camundongo (Swiss) e, com estímulo aversivo será usada a salamanta (Epicrates cenchria). Para a validação farmacológica do labirinto complexo como modelo de ansiedade generalizada, e pânico, serão induzidos comportamentos pró-aversivos evocados nos roedores, pela administração de picrotoxina (a 0,5, 1,0 e 2,0 mg/kg), administrada por via intraperitoneal (IP), um antagonista de receptores GABAérgicos. Por fim, para estudar efeitos antiaversivos no comportamento de defesa evocados pelos roedores na presença do predador, serão administradas doses crescentes de diazepam (a 0,5, 1,0 e 2,0 mg/kg), um fármaco benzodiazepínico, que facilita a neurotransmição GABAérgica. O presente trabalho busca melhor compreensão dos comportamentos de medo inato, e de respostas similares ao pânico, analisando a ação de droga pró-aversiva e antiaversiva, nas diversas respostas comportamentais evocadas diante de um risco eminente de vida, permitindo a validação de um novo modelo experimental de ansiedade.