Busca avançada
Ano de início
Entree

Alterações volumétricas de substância branca cerebral em indivíduos com primeiro episódio psicótico

Processo: 09/07073-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2009
Vigência (Término): 30 de junho de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Pesquisador responsável:Geraldo Busatto Filho
Beneficiário:Renata Rodrigues da Cunha Colombo
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Ressonância magnética   Transtornos psicóticos

Resumo

Os transtornos psicóticos são condições freqüentes na população, estando associados a grande morbidade e altos custos para a sociedade. O estudo destas condições através de técnicas de neuroimagem pode propiciar tanto um melhor entendimento de sua fisiopatologia, como a identificação de marcadores de vulnerabilidade biológica (endofenótipos) para o desenvolvimento destes transtornos.Evidências de diferentes naturezas sugerem que tanto psicoses funcionais (esquizofrenia e transtorno esquizofreniforme, por exemplo) como afetivas (transtorno bipolar e depressão maior psicóticos) estão associados a alterações de substância branca cerebral. Porém, os estudos em esquizofrenia revelaram resultados conflitantes e as evidências de alterações morfométricas de substância branca em transtornos bipolar e depressão maior são escassas.O presente projeto propõe-se a estudar uma amostra de 122 casos de primeiro episódio psicótico (PEP) (62 esquizofrenia/ transtorno esquizofreniforme, 24 transtorno bipolar, 25 depressão maior e 11 psicoses de outra categoria) e 94 controles de base populacional identificados em uma área circunscrita da cidade de São Paulo. Os pacientes e controles foram submetidos a exame de ressonância magnética de crânio, e suas imagens serão analisas através de morfometria baseada em voxel para determinar a existência de alterações regionais de substância branca no grupo PEP como um todo, bem como entre os subgrupos diagnósticos, em comparação com os controles epidemiológicos.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.